Notícias

Socioeducando do Lar do Garoto participa de competição estadual de poesias

publicado: 06/11/2019 17h24, última modificação: 06/11/2019 17h24

Classificado entre os 20 melhores poetas de slam da Paraíba, o socioeducando R.E.S.A, que atualmente cumpre medida socioeducativa no Lar do Garoto, unidade da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac), participou da 2ª Edição da Batalha Estadual de Slam da Paraíba (2º Slam PB), que aconteceu no último sábado (2), no subsolo do Teatro de Arena, da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc).

A competição de poesia falada reuniu poetas dos diferentes coletivos de slams do estado, que foram ganhadores das edições de slams do período de outubro de 2018 a outubro de 2019. Dessa etapa estadual saiu um classificado para representar a Paraíba no Slam Brasil (Slam BR), que acontecerá em dezembro, na cidade de São Paulo - etapa nacional que garante a participação de um poeta brasileiro na Copa do Mundo de Poesia, que acontece todos os anos em Paris.

Segundo Luiz Antônio da Silva Sousa, diretor do Complexo Lar do Garoto, 2 de novembro de 2019 foi mais um grande dia vivenciado pelos que fazem a socioeducação no Lar do Garoto. “Ver nosso socioeducando representar Campina Grande em disputa estadual de poesia, foi um momento de muita emoção. Durante o evento podemos notar claramente o brilho no olhar que a oportunidade oferece àquele que quer abraçá-la. A participação do socioeducando no evento proporcionou novos nortes, e reascendeu algo que nele estava perdido, seu talento”, comentou o diretor.

“Foi muito emocionante participar de uma competição assim. Eu não tenho como agradecer a oportunidade e a confiança dada a mim para divulgar minha arte. Quero agradecer a direção da unidade pelo compromisso e preocupação com os socioeducandos”, disse R.E.S.A.

“Foi extremamente importante a participação de um socioeducando na Batalha de Poesias. Isso mostra o envolvimento de todos que fazem o sistema socioeducativo. Mostra o papel do Estado na promoção social e na busca de uma ressocialização efetiva, como também na realização do próprio jovem no desenvolvimento do seu talento”, enfatizou o juiz da Vara da Infância e Juventude de Campina Grande, Dr. Hugo Zaer, que, junto ao diretor, ao procurador e a agentes do Lar do Garoto, acompanhou o socioeducando durante a apresentação na Funesc.

A competição de Slam contou ainda com a presença do presidente da Fundac, Noaldo Meireles, que foi prestigiar o socioeducando durante a apresentação e aproveitou a oportunidade para parabenizar o juiz Dr. Hugo Zaer, a direção da unidade socioeducativa, os professores envolvidos e todos os que contribuíram para que o interno pudesse participar deste evento.

“Agradeço aos meus amados irmãos, Dr. Alisson, Ivan, Breno, Mário e Hermes por nos acompanharem nessa grande missão, ao irmão Márcio (vice-diretor), que não foi ao evento, mas ficou na unidade trabalhando, torcendo por nós; ao nosso presidente Noaldo Meireles e toda Fundac, por nos confiar tal feito; e ao destemido e militante juiz da Vara da Infância e Juventude, Dr. Hugo Zaer, por fazer uma socioeducação de oportunidades”, concluiu o diretor do Complexo Lar do Garoto.

O Slam – O slam foi criado nos anos 1980 em Chicago, nos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que a cultura hip hop tomava forma, mas só chegou ao Brasil mais tarde, nos anos 2000. O campeonato ZAP, Zona Autônoma da Palavra, foi o primeiro deles, trazido pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, um Coletivo Paulistano de Teatro Hip-Hop. No Brasil, os slams são próximos de outro espaço da literatura das periferias: os saraus. O público das duas manifestações culturais muitas vezes coincide, e há, em ambos, uma interação muito grande entre os participantes.
Nos campeonatos de poesia falada os participantes têm até três minutos para apresentarem sua performance - uma poesia de autoria própria, sem adereços ou acompanhamento musical. O texto pode ser escrito previamente, mas também pode haver improvisação. Não há regras sobre o formato da poesia. O júri é escolhido na hora e dá notas de 0 a 10, que podem ser fracionadas. Entre todos os competidores, a maior nota vence. Os campeonatos não são obrigados a seguir normas rígidas, mas a maior parte obedece a essas diretrizes.