Notícias

João Azevêdo lança 31ª Edição do Salão de Artesanato Paraibano em João Pessoa

publicado: 07/01/2020 14h46, última modificação: 07/01/2020 14h56
1 | 12
Fotos: Francisco França
2 | 12
3 | 12
4 | 12
5 | 12
6 | 12
7 | 12
8 | 12
9 | 12
10 | 12
11 | 12
12 | 12
lançamento salão-foto Francisco França2.jpg
lançamento salão-foto Francisco França1.jpg
lançamento salão-foto Francisco França3.jpg
lançamento salão-foto Francisco França4.jpg
lançamento salão-foto Francisco França7.jpg
lançamento salão-foto Francisco França8.jpg
lançamento salão-foto Francisco França9.jpg
lançamento salão-foto Francisco França10.jpg
lançamento salão-foto Francisco França11.jpg
lançamento salão-foto Francisco França12.JPG
lançamento salão-foto Francisco França5.jpg
lançamento salão-foto Francisco França6.jpg

O governador João Azevêdo lançou, nesta terça-feira (7), a 31ª edição do Salão de Artesanato Paraibano, que este ano tem como tema ‘Metal que Vira Arte’. O evento será realizado de 10 de janeiro a 2 de fevereiro, na Avenida Cabo Branco, na orla de João Pessoa, e atende uma reivindicação antiga dos artesãos, que irão aproveitar a alta estação e o grande fluxo de turistas para ampliar seus negócios. 

Esta edição do Salão de Artesanato contará com a participação de 300 expositores que devem representar mais de 3.800 artesãos de 46 municípios de todas as regiões da Paraíba. A estimativa é de que o evento receba um público de mais de 100 mil pessoas e gere um volume de negócios em torno de R$ 1,3 milhão. 

Na ocasião, o governador João Azevêdo afirmou que a 31ª edição do Salão de Artesanato será uma das maiores realizadas no Estado. “Nós preparamos uma grande estrutura que será toda climatizada para que a gente possa oferecer aos visitantes e aos artesãos o conforto necessário e eu tenho certeza de que teremos um grande espaço de comercialização. Além disso, faremos uma homenagem aos artesãos que trabalham com o metal e promoveremos um grande desfile, utilizando a renda produzida no Cariri, e que terá a assinatura do estilista Ronaldo Fraga, associado ao traço genial de Flávio Tavares. Nós queremos que o artesanato seja visto com um olhar econômico que merece, pois é uma cadeia produtiva enorme, que envolve milhares de pessoas que produzem e precisam de um olhar diferenciado, gerando emprego e renda”, frisou.

A primeira-dama e presidente de honra do Programa de Artesanato da Paraíba (PAP), Ana Maria Lins, destacou o empenho do governo para fortalecer o segmento na Paraíba e gerar novas oportunidades aos artesãos. “Visitei vários artesãos que produzem verdadeiras riquezas de detalhes em suas peças e que serão expostas na feira. Nós tivemos muitas parcerias importantes, a exemplo dos arquitetos, e também temos um foco na parte social. O Governo do Estado vai continuar sempre ajudando os artesãos para que eles possam comercializar seus produtos, gerando emprego e renda, assegurando um salto qualitativo no segmento e tenho certeza de que este Salão será o maior de todos os tempos”, comentou.

O secretário do Turismo e do Desenvolvimento Econômico, Gustavo Feliciano, ressaltou a importância do trabalho produzido pelos artesãos para fomentar a economia do estado. “O Salão está instalado no foco principal dos nossos turistas, assegurando um maior fluxo de pessoas, que, além de comprar, divulgam o nosso artesanato dentro e fora do Brasil. A procura dos artesãos para participar do evento deste ano praticamente dobrou e esperamos que o sucesso seja dobrado também”, declarou.

A gestora do PAP, Marielza Rodriguez, evidenciou a estrutura logística do evento para acolher os expositores e visitantes. “Nós fizemos um planejamento de seis meses para instalar o Salão na praia, reforçando o nosso compromisso com o artesão e com o cliente. Mais de três mil artesãos serão beneficiados diretamente, promoveremos uma vasta programação cultural na Praça da Alimentação e teremos uma sala de oportunidades do Sebrae dentro do evento, com palestras para os artesãos e o público visitante”, explicou.

O diretor técnico do Sebrae, Luiz Alberto Amorim, destacou a importância da parceria com o Governo do Estado para garantir o sucesso da feira. “Nós estamos agregando o empreendedorismo dentro do artesanato, estimulando a economia criativa, além de trabalharmos a parte de desenvolvimento e design. Além disso, estamos reforçando, em boa hora, toda a nossa parceria com o estado e ficamos felizes por poder colaborar com uma expressão forte da nossa cultura e precisamos dar mais espaços para isso, ocupando espaços no mercado para fazer o ciclo econômico girar”, disse.

Além do Sebrae, o evento tem como parceiros o Procon, a Jucep, Empreender PB, Cagepa, Detran, Uniesp e EPC (Empresa Paraibana de Comunicação). 

O evento foi prestigiado pela vice-governadora Lígia Feliciano e por auxiliares do Governo da Paraíba.  

Homenagens - O Salão também homenageia 12 artesãos, sendo 10 de João Pessoa, um de Bayeux e um de Pilar. Entre os homenageados estão o artista plástico, escultor e artesão Wilson Figueiredo; o artesão João de Deus; a artesã Rosicler Fontana, que trabalha com a fabricação artesanal de diversos tipos de facas; e o casal Humberto Heleno e Maria Miguel.

“Eu trabalho com artesanato há 13 anos, me apaixonei pelo trabalho em metal, tenho várias obras em prédios de João Pessoa e encaro essa homenagem como um grande reconhecimento que não se compara a outras que já tive em nível internacional por ser lembrado em minha terra e isso me honra muito, pois sei que o Salão é um evento de prestígio na Paraíba e no Brasil”, agradeceu o artesão Wilson Figueiredo. 

Preservação ambiental e ação social - Assim como ocorreu no 30º Salão de Artesanato, em Campina Grande, o evento promovido em João Pessoa não utilizará sacolas e canudos plásticos, com o objetivo de estimular a conscientização das pessoas sobre a preservação ambiental. A entrada será franca e será facultada a doação de alimentos não-perecíveis que serão destinados a entidades da Grande João Pessoa.

Estrutura - A feira tem 3081 metros quadrados de área coberta. O projeto geral foi do arquiteto Gustavo Vaz e a entrada foi ambientada pela arquiteta Tereza Queiroga. Já Rosemildo Jacinto foi responsável pela criação de cinco ilhas de descanso temáticas ao longo do percurso da feira. O projeto paisagístico ficou sob a orientação da também arquiteta Beatriz Campelo; já a Praça de Alimentação, denominada Espaço Criativo Mar e Bar, foi projetada por Sarah Cavalcanti. No local estão instalados sete equipamentos da gastronomia, entre lanchonetes e restaurantes regionais e será promovida, em parceria com a Mendhi Eventos, a programação musical e folclórica.