Notícias

Governo realiza primeiro seminário sobre aquicultura nesta sexta-feira

publicado: 04/12/2019 11h29, última modificação: 04/12/2019 17h45

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), realiza nesta sexta-feira (6) o primeiro seminário de Aquicultura da Paraíba, na Escola do Serviço Público da Paraíba (Espep), localizada no bairro Mangabeira VII, em João Pessoa, a partir das 8h. Um dos temas que serão discutidos durante a realização do evento será a legislação da aquicultura.

O secretário executivo da Sedap, Jeronimo Arlindo da Silva Junior, destacou a importância do evento para a aquicultura do Estado. “A aquicultura, que engloba peixe, camarão e ostra, tem sido um dos segmentos mais importantes da economia paraibana. Para se ter ideia, o Estado tem produzido duas mil toneladas e meia de camarão anualmente, acrescentando ao PIB da Paraíba R$ 52 milhões, fazendo com que a Paraíba ocupe o 4º lugar na produção de camarão em nível nacional”, disse.

Na Paraíba, os municípios que se destacam na aquicultura são Itabaiana, com a produção de camarão; Bananeiras, com a produção de peixe; e Rio Tinto, com a produção de ostra.

Outro ponto destacado por Jeronimo Junior é a discussão sobre o Decreto Estadual 34.699, que disciplina a atividade da aquicultura; e a Lei 11.180/2018, que disciplina a produção de camarão. “É uma legislação pioneira, mas temos de avançar. Hoje temos um decreto que disciplina uma lei, quando deveria ser o contrário. Por isso, precisamos discutir para afinar a legislação”, acrescentou.

Além de debater a legislação sobre a aquicultura no Estado, o primeiro seminário sobre a produção de peixe, camarão e ostra traz ainda as novidades do segmento, como equipamentos e ração usados na atividade.

Projeto Peixe Vivo – Durante a realização do primeiro seminário sobre Aquicultura no Estado, será lançado ainda o Projeto Peixe Vivo, que será levado a todas as feiras livres como as de Jaguaribe e Oitizeiro, em João Pessoa, além de outros municípios paraibanos.

Os produtores participarão do projeto por meio de uma cooperativa. Com isso, os consumidores paraibanos terão a oportunidade de comprar peixe de procedência garantida. “O produto será levado às feiras em caminhões, em trans fish com toda a segurança e procedimentos necessários. Em tendas móveis, o pescado será comercializado, garantindo ao consumidor um produto de altíssima qualidade”, comentou Jeronimo Junior.