Notícias

Reeducandos confeccionam bolas de futebol em Catolé do Rocha

publicado: 07/02/2020 10h23, última modificação: 07/02/2020 10h23
1 | 9
2 | 9
3 | 9
4 | 9
5 | 9
6 | 9
7 | 9
8 | 9
9 | 9
bolas.jpg
1b72f66c-05c1-4863-b925-54b874813e54.jpg
986d3456-7313-430f-bf32-798d076b5777.jpg
621d4b66-b967-4655-bebd-b6aa88d5c700.jpg
f4faaee2-7e83-4769-b821-7b424eb4efb5.jpg
211391bb-7833-457f-9279-efb26f053f35.jpg
e884031d-c06f-43b2-84d4-2c22a8d101ff.jpg
f176dfbe-5dcc-4582-8e0b-73ed9be6be9f.jpg
WhatsApp Image 2020-02-04 at 17.41.18.jpeg

A administração do Instituto de Reeducação Social “Manoel Gomes da Silva, de Catolé do Rocha, tem como meta envolver, neste ano, mais de 80% dos reeducandos em algum projeto de reinserção social. Uma das atividades que integra essa prática ganha destaque na cidade. Lá, 40 reeducandos produzem, desde o início da semana, bolas de futebol em couro.

O projeto pretende fabricar até 1500 bolas por mês, artesanalmente. Além da remissão da pena de um dia por três trabalhados, eles também ganham um percentual em dinheiro por cada bola fabricada. O dinheiro é repassado às famílias. De acordo com o diretor da unidade, Isaque Leite, a meta é ampliar a produção.

Horta – Os reeducandos também produzem legumes e verduras em horta cultivada por eles. Essa ação tem como parceiros a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB); Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB); Ministério Público Estadual e o Conselho da Comunidade. A horta produz coentro, beterraba, batata, alface e, em breve, tomate, pimentão, abóbora e couve.

O Instituto de Reeducação Social de Catolé do Rocha planeja executar mais dois projetos: Cultivando a liberdade para um novo viver, em parceria com a Igreja Católica, e uma outra parceria com uma empresa privada.

 

Josélio Carneiro - Assessoria de Imprensa da Seap

Fotos: Policiais penais da unidade