Notícias

SOCIOEDUCANDOS RECEBEM CERTIFICADOS DE CURSO PROFISSIONALIZANTE DE PINTOR DE OBRAS

publicado: 11/12/2019 16h34, última modificação: 27/12/2019 12h11
1 | 9
2 | 9
3 | 9
4 | 9
5 | 9
6 | 9
7 | 9
8 | 9
9 | 9
78655878_552873581926989_2198524996395991040_n.jpg
78906946_2798954806792474_9025170231131111424_n.jpg
78730946_2761055150584153_8520768786557566976_n.jpg
79021503_2498647417050907_7343501251243409408_n.jpg
78988089_2431976707121505_1025231796184285184_n.jpg
80207367_2426440627672734_4589483373969276928_n.jpg
79136602_582330925674205_8874123648739311616_n.jpg
79163502_450458028990620_2042025192812707840_n.jpg
79095762_1393306137501734_4596347728140697600_n.jpg

Após três meses de curso profissionalizante, 20 socioeducandos do Centro Educacional do Adolescente (CEA) e do Centro Educacional do Jovem (CEJ), receberam do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) os certificados de qualificação profissional pela conclusão do curso de Pintor de Obras. A solenidade é fruto da parceria entre a Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida e a Associação das Esposas dos Magistrados e Magistradas da Paraíba (Aemp).

Segundo a presidente da Aemp, Solange Franca, o curso profissionalizante de Pintor de Obras faz parte de um convênio que a Associação e o Tribunal de Justiça da Paraíba mantêm com o Senai. “Sabemos que não é fácil estar aqui e, nessa situação, vocês precisam de pessoas que acreditem em vocês, e nós estamos aqui para isso. Eu creio que com uma qualificação profissional ficará mais fácil o acesso ao mercado de trabalho e nós estaremos aqui para dar o apoio a vocês, sempre que precisarem”, disse a presidente da Aemp.

“É uma satisfação para o Senai executar mais um curso profissionalizante. As portas da instituição sempre estarão abertas para que vocês possam fazer mais cursos profissionalizantes após o cumprimento da medida, seja em parceria com a Aemp, ou através de bolsas no próprio Senai”, destacou o coordenador administrativo do Senai, Adriano Santana.

Durante a certificação dos socioeducandos, a coordenadora do eixo Profissionalização, Silvana Cibelle, parabenizou os internos pela dedicação e empenho em concluir o curso e agradeceu à presidente Solange Franca, toda sensibilidade e atenção com a socioeducação do Estado.

“A partir do momento em que você recebe seu diploma, você se torna uma profissional que deverá tomar a decisão de seguir ou não adiante com um novo projeto de vida. Nosso desejo é que a semente plantada gere bons frutos e isso dependerá exclusivamente de vocês que terão a oportunidade de exercer o conhecimento aprendido”, alertou o juiz de Execução Penal, Carlos Neves.

“Está aí provado o quanto vocês são inteligentes e têm competência para ter uma vida completamente diferente, fora da criminalidade. É preciso fortalecer tudo o que tem de bom dentro de vocês e deixar o peso do passado para trás, projetando uma vida nova. Sou encantada com o trabalho do Sistema ‘S’ que abre as portas para um trabalho diferenciado, com melhores oportunidades onde o certificado se torna o cartão de apresentação do jovem. Desejo muito sucesso para vocês”, enfatizou a juíza da 2ª Vara da Infância e Juventude de João Pessoa, Antonieta Maroja.

Wendow Lacerda, diretor do CEJ, agradeceu a parceria entre todos os presentes que, juntos a Aemp, acreditam no valor dos jovens que hoje cumprem medidas socioeducativas e que, cada dia mais, mostram que podemos investir neles. “Não é o primeiro curso profissionalizante e nem será o último. Eu só tenho a agradecer, finalizar o ano com jovens premiados, com quase cem jovens liberados em 2019 e o número enorme de internos que farão o Enem, além de uma equipe de professores, técnicos e agentes que trabalham incansavelmente para que o trabalho de ressocialização aconteça”, disse o diretor.  

Participaram ainda das solenidades de certificação: Luciano Ramos (diretor do CEA), Débora Raquel (vice-diretora do CEA), Deborah Nascimento (coordenadora pedagógica do CEA), Manuela Santos (assistente administrativo do Senai), e Erika Patrícia Chianca (coordenadora pedagógica do CEJ), além de agentes socioeducativos e professores da Escola Cidadã Integral Socioeducativa.