Fale Conosco

29 de julho de 2013

Volume de empregos formais chega a 54,5 mil na Paraíba



Levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) aponta que a Paraíba gerou 54,523 mil novos postos de trabalho no acumulado dos últimos dois anos. Os dados revelam que foram mais de 35,3 mil oportunidades de trabalho com carteira assinada em 2011, enquanto em 2012 outros 19,214 mil empregos formais foram criados para os paraibanos.

Neste período, o setor de serviços liderou a criação de postos de trabalho, com 22.456 oportunidades. Os dados são do Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged ), e revelam que em segundo lugar ficou o setor da construção civil (13.860), seguido pelo comércio (10.708). Completam a lista ainda, os setores da indústria de transformação (4.860) e da administração pública (3.953).

No cenário regional, a Paraíba coloca-se como o quarto maior Estado em geração de emprego entre 2011 e 2012. Ficamos atrás da Bahia, Pernambuco e Ceará neste quesito, respectivamente com os seguintes saldos: 164 mil, 160 mil e 122 mil novos trabalhadores com carteira assinada.

Para a presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba, Tatiana Domiciano, a perspectiva para os próximos anos é de que o segmento industrial possa gerar mais postos de trabalho com os investimentos privados que estão sendo feitos. “Com a vinda de mais indústrias para o Estado iremos incrementar o setor produtivo da nossa economia, fortalecendo nosso desenvolvimento com bases sólidas e de projeção contínua”, destacou.

Os resultados destes investimentos já estão gerando empregos. É o que destaca o Secretário Executivo de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Marcos Procópio. “Em um ano e meio as três unidade de Call Center estão conseguindo gerar 9 mil empregos para os paraibanos. O que representa uma conquista muito grande para nosso estado”, afirmou.

O Centro de Convenções será outra matriz importante para alimentar toda cadeia do turismo de negócios na Paraíba, de acordo com Marcos Procópio.

É nesta perspectiva de fortalecer grandes cadeias produtivas, e não apenas empresas específicas, que o governador Ricardo Coutinho tem pautado o nosso trabalho. Outro exemplo disso é a Indústria Náutica, com a qual estamos em negociações avançadas e poderemos movimentar, entre outros, os setores da pesca comercial, do turismo, da tecnologia para fabricação de motores, além de escolas de navegação e laminação das embarcações”, comentou o secretário Marcos Procópio.

Cimenteira inicia contratação

O Polo Cimenteiro da Paraíba iniciou a contratação de funcionários para o trabalho da produção industrial. O grupo Brennand Cimentos está selecionando candidatos paraibanos para as áreas administrativas e técnicas da sua nova fábrica, no município de Pitimbu. A construção da indústria está em estágio avançado e a previsão é de que no segundo semestre de 2014 comece a produzir.

As vagas são para analista fiscal, assistente técnico mecânico, analista de ativo fixo, técnico de planejamento civil, técnico de planejamento mecânico, técnico civil e técnico de planejamento elétrico.

As oportunidades são para contratação imediata e as qualificações, bem como o salário, variam de acordo com o cargo. Entre outros critérios, é requisitada experiência na área administrativa, de planejamento, programação de projetos e em obras, além de disponibilidade para viagens. E os benefícios aos trabalhadores incluem assistência médica e odontológica, seguro de vida, além de previdência privada, vale alimentação e transporte.

A seleção será composta por análise curricular, entrevista técnica e avaliação psicológica. Os interessados devem se inscrever ou buscar maiores informações no site da Brennand Cimentos (www.brennandcimentos.com.br).

Polo Cimenteiro

A instalação da Brennand faz parte do plano de estruturação do Polo Cimenteiro da Paraíba, composto por outras quatro empresas e que deverá colocar o nosso estado como o segundo maior produtor de cimento do país. Com produção de 10 milhões de toneladas de cimento por ano, a Paraíba será a segunda maior produtora do país, ficando atrás apenas de Minas Gerais, onde a produção anual é de 14 milhões de toneladas de cimento.

De acordo com a presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (CINEP), Tatiana Domiciano, a formação do Polo Cimenteiro avança com as obras de construção, enquanto o estágio de contratação de funcionários para operar a empresa está começando. “É neste momento em que os impactos econômicos começam a ser sentidos, quando a mão de obra local terá emprego regular nas indústrias e a renda dos municípios seguirá subindo de patamar”, comentou.

Além do Grupo Brennand, outras quatro empresas estão instalando-se no Litoral Sul da Paraíba para consolidar nosso Polo Cimenteiro. São elas: Cimpor II (na cidade do Conde), Elisabeth (na cidade de Alhandra) e Votorantim (na cidade de Caaporã) aliadas à ampliação da Lafarge (na cidade de Caaporã). A produção cimenteira paraibana atual é de 2,5 milhões toneladas/ano. E a projeção é de que o estado produza 10 milhões de toneladas/ano com o incremento das indústrias. Este potencial alimentará, entre outros, a cadeia de concreto e pré-moldados; construção civil e o setor imobiliário.