João Pessoa
Feed de Notícias

Vistoria encontra caos na infraestrutura do “Amigão”; família mora no local

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 - 19:52 - Fotos: 
Se o Campeonato Paraibano e a Copa do Brasil de Futebol fossem iniciados hoje, o Estádio Ernani Sátyro (“Amigão”), de Campina Grande, estaria completamente “fora do jogo”. Durante inspeção realizada na tarde desta quinta-feira (6), o secretário da Juventude, Esporte e Lazer, Fábio Maia, constatou que a situação do “Amigão” é ainda pior do que a encontrada no Estádio José Américo de Almeida (“Almeidão”), de João Pessoa, onde toda a estrutura (física, hidráulica, elétrica e de apoio) apresenta problemas tão sérios que colocam a praça de esportes em situação de caos absoluto.

Acompanhado da presidente da Federação Paraibana de Futebol, Rosilene Gomes, dirigentes de clubes esportivos e profissionais de imprensa, Fábio Maia encontrou no “Amigão” uma praça de esportes inteiramente sucateada, com estruturas hidráulica e elétrica danificadas, vestiários com chuveiros quebrados e apresentando vários pontos de alagamento, gramado em péssimas condições de utilização, inclusive com várias partes esburacadas; e tudo isso a exatamente um mês do início do Campeonato Paraibano de Futebol e da Copa do Brasil.

Além dos problemas de infraestrutura, que incluem obras paralisadas na área do estacionamento, o secretário também encontrou no “Amigão” uma família de desabrigados que mora no Estádio por iniciativa da Defesa Civil do Município. Em setembro do ano passado, numa situação de emergência, o órgão municipal relocou para as dependências do “Amigão” cinco famílias, mas apenas quatro foram depois encaminhadas para outros locais.

Providências – Dentro da determinação do governador Ricardo Coutinho no sentido da recuperação de todos os espaços públicos, respeitada a capacidade financeira do Estado, o secretário Fábio Maia informou que o levantamento da situação desses espaços está sendo feito com a maior celeridade possível, e que logo estará encaminhando à Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan)  um relatório detalhado de tudo o que for levantado. De posse do documento, os técnicos da Suplan poderão traçar um plano emergencial de recuperação dos Estádios.

“As dificuldades são inúmeras, os recursos são difíceis, mas nós vamos fazer o possível para agilizar a recuperação desses estádios”, acrescentou Fábio Maia, referindo-se especialmente ao “Almeidão” e ao “Amigão”. Quanto às obras do estacionamento – orçadas em R$ 627.491,39, iniciadas em 1° de setembro de 2010 e depois paralisadas, ele informou que vai fazer uma verificação no contrato para então tomar as providências com vistas à retomada dos serviços. Realizada em agosto de 2010, a licitação relacionada à obra foi ganha pela ENE – Empresa Nacional de Engenharia Ltda.

Sobre a família que hoje utiliza o “Amigão” como moradia, Fábio Maia disse que vai cobrar da Defesa Civil do Município de Campina Grande as providências necessárias para a devida relocação.

FPF – Ao lado do secretário, a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Rosilene Gomes, disse estar confiante em que os estádios de futebol da Paraíba estarão em condições de sediar os jogos dos campeonatos que se iniciam em fevereiro e em março deste ano. “Nós que fazemos a Federação Paraibana de Futebol estamos pedindo socorro ao Governo, tendo em vista a situação de calamidade, de abandono total, em que foram colocados os nossos estádios. O problema é sério, mas eu acredito muito no pulso forte e na visão ampla do governador Ricardo. Se não acreditasse, não estaria aqui”, enfatizou.