João Pessoa
Feed de Notícias

Vigilância Sanitária inspeciona farmácias na Paraíba

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010 - 19:32 - Fotos: 
A Vigilância Sanitária Estadual em parceria com a Gerência de Vigilância Sanitária de João Pessoa e Conselho Regional de Farmácia (CRF) iniciou nesta segunda-feira (22) as inspeções em farmácias para verificar o cumprimento da Resolução de Boas Práticas Farmacêuticas (RDC 44/09). No primeiro estabelecimento visitado foram identificadas várias irregularidades.  

Na farmácia Preço Baixo Ltda, localizada na avenida Argemiro de Figueiredo, na Capital, foi descoberto um chamado “Plano de Vôo” que estabelecia metas de vendas entre 20 e 30 mil reais por mês. Além disso, o estabelecimento funcionava sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e sem licença sanitária da Gerência de Vigilância da Capital.

“Identificamos que essa farmácia não segue um manual de Boas Práticas Farmacêuticas desde as normas de higiene, avaliação de receitas até o descarte de medicamentos”, disse o gerente da Vigilância Sanitária de João Pessoa, Ivanildo Brasileiro.

Segundo informou a fiscal do CRF, Maria Coeli, o estabelecimento não possui Certidão junto ao Conselho e por isso também foi autuado.

“Vamos investigar se os farmacêuticos são citados no ‘plano de vôo’ e caso estejam envolvidos serão chamados para prestarem esclarecimentos à Comissão de Ética do Conselho Regional de Farmácia”, explicou Coeli.

A farmácia Preço Baixo Ltda poderá ser multada pela vigilância sanitária que varia de 300 até 50 mil reais, e pela Anvisa, que poderá aplicar multa de até 1 milhão de reais. O estabelecimento autuado tem um prazo de 30 dias para apresentar defesa e findo o prazo poderá ser interditada.

Alerta – Para o diretor geral da Agevisa, José Alves Cândido, a ação da Vigilância Sanitária tem por objetivo conscientizar os donos de farmácias, farmacêuticos e usuários de medicamentos sobre os riscos da automedicação.

“Os dados são alarmantes porque 30% dos casos de intoxicação são provocados pelo uso indevido de medicamentos”, informou José Alves.

Intoxicação – segundo dados levantados pelo Centro de Assistência Toxicológica da Paraíba (Ceatox) do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em 2009 foram atendidas, na Capital, 87 vítimas de intoxicação por remédio. As principais vítimas são crianças abaixo de dez anos.
    

Assessoria de Imprensa da Agevisa