João Pessoa
Feed de Notícias

Vice-governadora participa de lançamento de campanha do TJ

segunda-feira, 9 de março de 2015 - 17:06 - Fotos: 

A vice-governadora Lígia Feliciano participou, nesse domingo (8), do lançamento da campanha“Justiça pela paz em casa – Nossa justa causa”, realizado pelo Tribunal de Justiça da Paraíba em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, no Busto de Tamandaré, em Tambaú. A campanha foi idealizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por iniciativa da Ministra Carmem Lúcia Antunes da Costa.

Para a vice-governadora, a campanha significa dar mais visibilidade à Lei Maria da Penha em defesa da construção de uma cultura de paz no cotidiano de homens e mulheres na Paraíba. “Se buscamos paz no dia-a-dia, com certeza, nossas atitudes mudarão. Passamos a ser promotoras da paz em nossas relações”, disse Lígia Feliciano, que participou também do show de Lia de Itamaracá, no Espaço Cultural, no evento Canto das Mulheres, promovido pela Secretraria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Funesc e Secretaria de Estado da Cultura.

Lígia Feliciano ressalta que o governo vem investindo em ações de fortalecimento da autonomia das mulheres e no enfrentamento à violência sexual e doméstica. “A Paraíba registrou uma redução de 28,77% no número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) contra mulheres nos últimos quatro anos. Isso significa 42 mortes evitadas. Mas isso é possível pelo esforço de implantação de programas como o Centro de Referência Estadual da Mulher e a Casa Abrigo, além do fortalecimento da Rede Estadual de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica”, afirma.

Para ela, a campanha do governo “Autonomia, essa é nossa decisão” – Paraíba: Mulher Forte e de Valor” caminha junto com a campanha do Tribunal de Justiça, que busca fortalecer a implementação da Lei Maria da Penha, considerada uma das Lei mais avançadas do século XXI pela ONU. “Com autonomia e decisão, as mulheres podem denunciar, buscar ajudar e enfrentar a violência em seus vários níveis, desde a psicologia até patrimonial”, afirmou.