Fale Conosco

15 de maio de 2013

Vendas do comércio paraibano registram 3º melhor crescimento do país



Mostrando vendas aquecidas, o comércio varejista da Paraíba registrou o terceiro melhor crescimento do país, segundo informou a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, divulgada nesta quarta-feira (15). Em março, o volume de vendas apresentou alta de 10,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O índice ficou atrás apenas de outras duas unidades da federação: Mato grosso do Sul (12,3%) e do Rio Grande do Norte (10,7%), mas bem acima da média do país que obteve alta de 6,8%. (veja o ranking completo no quadro abaixo)

Na comparação com o mês de fevereiro deste ano, as vendas de março também registraram alta de 2,5%, enquanto o país teve leve recuo de 0,1% no período. No acumulado do primeiro trimestre, a expansão do varejo paraibano apresentou crescimento de 8,6%, a segunda maior taxa entre os nove estados do Nordeste. O Rio Grande do Norte lidera índice na Região com 9,6% de alta.

Para o secretário Executivo de Estado da Receita, Leonilson Lins de Lucena, a taxa de crescimento do varejo paraibano na Pesquisa Mensal do Comércio apurado pelo IBGE apenas reforça o crescimento da economia paraibana neste ano. “O índice do IBGE é mais um indicador positivo que a economia paraibana está aquecida e que o Estado está no caminho certo, mesmo diante de uma retomada de crescimento mais lenta do país. A Paraíba vem mostrando uma dinâmica e fôlego de desenvolvimento, para além das dificuldades, como é o caso da seca, que atinge o semiárido nordestino. O que temos visto da parte da Receita Estadual é o foco na tecnologia da informação, via monitoramento das equipes dos auditores fiscais, para corrigir erros e ajustar o sistema. Esse equilíbrio das equipes do Fisco Estadual não apenas vem elevando a arrecadação, mas promovendo a concorrência mais leal no mercado, pois inibe o mau contribuinte”, lembrou.

O secretário Executivo de Estado da Receita destacou ainda no crescimento do comércio varejista. “Os pequenos varejistas estão saindo cada vez menos para comprar nos estados vizinhos. Essa oferta ampla de atacadistas no Estado gera um custo menor de logística e custo, oferece preços mais competitivos no mercado local, o que favorece o mercado interno, gerando assim mais riqueza e desenvolvimento no Estado”, apontou Leonilson Lins.

Ranking do volume de vendas do comércio em março 2013

 

Unidade da Federação

 

Taxa de crescimento do volume de vendas
Brasil 6,8%
Mato Grosso do Sul 12,3%
Rio Grande do Norte 10,7%
PARAÍBA 10,6%
Rondônia 9,1%
Roraima 7,8%
Rio de Janeiro 7,2%
Tocantins 7,1%
Sergipe 6,3%
Rio Grande do Sul 5,9%
Pernambuco 5,6%
Pará 5,6%
Ceará 5,6%
Paraná 5,5%
Maranhão 5,4%
São Paulo 4,8%
Amapá 4,4%
Mato Grosso 4,3%
Goiás 4,3%
Alagoas 3,2%
Santa Catarina 2,4%
Piauí 2,1%
Amazonas 1,2%
Espírito Santo 0,8%
Distrito Federal 0,7%
Acre 0,3%
Bahia -0,2%
Minas Gerais -0,4%

 

Fonte: Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE