João Pessoa
Feed de Notícias

Vander Lee abre o Seis e Meia de junho com sucessos românticos

terça-feira, 1 de junho de 2010 - 09:41 - Fotos: 
Shows acontecem neste sábado, no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa

Depois de sete dias de uma programação intensa com a realização do 13º Festival Nacional de Arte (Fenart), o Espaço Cultural volta a animar a noite pessoense com música de qualidade. O projeto Seis e Meia traz ao Teatro de Arena, nesta quarta-feira (02/06), às 18h30, o cantor e compositor mineiro Vander Lee, que faz parte da nova safra dos mais talentosos artistas brasileiros. A abertura será feita pelo cantor Dida Fialho, considerado um dos mais promissores compositores da Paraíba.

As músicas de Vander Lee, que falam do cotidiano e do amor, fazem sucesso também nas vozes de Rita Ribeiro, Zeca Baleiro, Elza Soares, Leila Pinheiro e Maria Bethânia. Neste show no Espaço Cultural, ele mostra músicas do seu mais novo CD, “Faro”. Já o paraibano Dida Fialho vai cantar sucessos antigos e músicas do novo CD, “Tocando Campanhia”.

O Projeto Seis e Meia é realizado pela Acorde Produções com o patrocínio do Governo do Estado da Paraíba, através da Funesc e Rádio Tabajara, e recebe o apoio cultural do Ambassador Flat e dos restaurantes Peixe Elétrico, Vila Cariri e Cia do Chopp. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada) e podem ser comprados antecipadamente ou na hora do evento no posto de vendas montado na entrada do Espaço Cultural.

Vander Lee – A carreira do cantor e compositor mineiro começou nos bares e em 1987 ele fez sua primeira apresentação com músicas suas no projeto ‘Segunda Musical’.  Nos anos seguintes se apresentou mais em bares que em palcos, até que em 1996 ganhou o segundo lugar do festival ‘Canta Minas’, realizado pela Globo Minas, com a música ‘Gente não é cor’. Esse foi o impulso necessário para o artista produzir seu primeiro CD independente, assinando ainda como Vanderly, em 1997.
 
No ano seguinte, Elza Soares conheceu o trabalho do artista e incluiu a música ‘Subindo a Ladeira’ em seu repertório de show. A partir daí, ele realizou várias participações nos shows de Elza em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Seu segundo CD, ‘No Balanço do Balaio’, foi lançado em 1999 com participações de Mauricio Tizumba, Tambolelê, Raquel Coutinho e o pai do cantor, José Delfino. Vander sentiu uma movimentada em sua carreira após várias cantoras gravarem suas músicas, como Rita Ribeiro, Gal Costa, Emilinha Borba, Lúdica Música, Alcione, Leila Pinheiro, Paula Santoro, Margareth Menezes, Eliana Printes, Luiza Possi e Selmma Carvalho.

Em 2003, o terceiro CD nasceu de uma temporada de shows feita por Vander Lee em Belo Horizonte.  O CD se chama ‘Ao Vivo’ e contou com a participação de Elza Soares e Rogério Delayon.  O trabalho foi um sucesso e rendeu ao artista muitos shows pelo Brasil, além da possibilidade de lançar em 2005 o CD ‘Naquele verbo agora’, mais romântico e levemente pop. Com esse disco, Vander Lee foi finalista do Prêmio Tim de Música, nas categorias Melhor Disco e Melhor Cantor da Canção Popular.

Em 2006, Vander Lee gravou o CD e DVD ‘Pensei que fosse o céu’, em um show com a participação de Zeca Baleiro. No ano de 2007, fez turnê pelo Brasil e conquistou o Prêmio TIM de Melhor Disco de Canção Popular. No ano seguinte faz sua primeira apresentação fora do Brasil, sendo selecionado pelo fórum de música de Minas Gerais para fazer um show internacional em Turin (Itália).

O ano passado foi bastante movimentado para Vander Lee:  participou do Festival SXSW em Austin (Texas), lançou seu mais novo CD, intitulado ‘Faro’, que conta com as participações do africano Lokua Kanza, Regina Souza e Renegado;  se apresentou no Festival Romerias de Mayo em Cuba, juntamente com outros artistas mineiros; fez turnê pelo Brasil e teve suas músicas gravadas por Maria Bethania (Estrela) e Fábio Jr (Românticos).

Neste ano, três músicas de Vander Lee entraram na trilha sonora da novela ‘Uma rosa com amor’, do SBT. Em março ele voltou a se apresentar nos EUA, com dois shows no Festival SXSW, em Austin – um deles, ao vivo em uma apresentação virtual em 3D – e um em Miami para a rádio WDNA.

Dida Fialho – Edésio Francisco Fialho da Silveira nasceu no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. Adotando o nome artístico de Dida Fialho, começou sua carreira em 1976 e participou de várias coletâneas e projetos em diversas cidades do Nordeste.

O artista paraibano morou vários anos no Rio de Janeiro e em São Paulo e, em 1993, lançou o primeiro disco solo, “Pensadores Virtuais”, trabalho em que pode comprovar o seu potencial como cantor e compositor. Depois de rodar o mundo tendo as mais diversas vivências musicais e artísticas, Dida Fialho voltou a sua terra natal para gravar o novo disco ‘Tocando Campanhia’, lançado em janeiro deste ano.

O disco tem 11 faixas inéditas, todas de autoria de Dida com parceiros novos e antigos: Gilvan de Brito, Virgínia Lombardi, Gilberto Nascimento, Alberto Arcela, Saulo Mendonça, Paulo Vinícius e Ricardo Anísio. O trabalho também conta com as participações especiais de gente de peso na cena musical contemporânea, a exemplo do grupo Nossa Voz, do saxofonista Costinha, do trombonista Radegundes Feitosa, e das cantoras Anay Claro, Soraia Bandeira e Diana Miranda.

SERVIÇO:
Seis e Meia, com Vander Lee
Abertura: Dida Fialho
Quando: Quarta-feira, 02 de junho, às 18h30.
Onde: Teatro de Arena do Espaço Cultural, em João Pessoa
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudante)
Informações: 83-8857-4765.

Assessoria de Imprensa da Funesc