João Pessoa
Feed de Notícias

Vacinação contra gripes comum e A termina nesta quarta-feira

segunda-feira, 31 de maio de 2010 - 16:02 - Fotos: 
Idosos com 60 anos e mais que ainda não tomaram a vacina contra a gripe comum e os grupos prioritários que não foram imunizados contra a gripe pandêmica H1N1 têm até esta quarta-feira (2) para procurar uma das 1.007 unidades de saúde do Estado, que estão abastecidas com os dois tipos de imunizantes.  “O nosso apelo é para as pessoas que ainda não tomaram as vacinas que não deixe de se vacinar e façam isso logo, pois o tempo está acabando”, afirmou o coordenador de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Walter Albuquerque.

Até a manhã desta segunda-feira (31), a Paraíba havia vacinado 272.535 idosos contra a gripe comum, o que representa 66,45% das 410.140 mil pessoas com 60 anos e mais. Com relação à gripe A (H1N1), já foram vacinadas 1.292.397 pessoas, totalizando 74% da população a ser imunizada e estimada anteriormente em 1.750.172. O Estado já vacinou 100% dos trabalhadores da saúde e das crianças menores de dois anos. Na população indígena, a meta alcançada até agora foi de 98%; das gestantes, 74%; portadores de doenças crônicas, 84%; jovens entre 20 e 29 anos, 70%; e de 30 a 39 anos, 64%.

Novo grupo – No caso da gripe A, a campanha era para ser encerrada no último dia 21, mas o Ministério da Saúde resolveu prorrogar até a quarta-feira (2) e ainda incluiu mais um grupo prioritário que são as crianças de 2 anos a menores de 5 anos. Na Paraíba, a meta é vacinar 196.214 pessoas nessa faixa etária. Walter Albuquerque explicou que a vacinação para as crianças será feita em duas etapas. “Depois de tomar a primeira meia dose, elas devem voltar ao posto de saúde após 21 dias e tomar a segunda metade”, afirmou.

O coordenador de Imunização da SES explicou que, com a criação desse novo grupo da H1N1, o número de pessoas a serem vacinadas passou de 1.750.172 para 1.946.386. Ele afirmou que esse novo grupo foi escolhido, porque mostrou-se ser o grupo mais vulnerável à gripe pandêmica.  Walter disse que, desde o início da campanha, em março deste ano, o Ministério da Saúde tinha um estoque estratégico do imunizante com cerca de 10 milhões de doses para atender a alguma eventualidade, como por exemplo, perda ou falta da vacina e, como isso não aconteceu, o MS decidiu incluir as crianças entre 2 e menores de 5 anos (ou seja até 4 anos, 11 meses e 29 dias).

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB