Fale Conosco

26 de julho de 2017

Unidade de Polícia Solidária de Bayeux ganha núcleo de mediação de conflitos



PMPB Inauguração do núcleo de mediação de conflitos em Bayeux Foto Wagner Varela SECOM PB 5 270x180 - Unidade de Polícia Solidária de Bayeux ganha núcleo de mediação de conflitosA população do bairro Mário Andreazza, na cidade de Bayeux, passa a ter mais um benefício proporcionado pela Unidade de Polícia Solidária (UPS) do bairro. É que a Polícia Militar, através de parceria com a ONG Pastoral dos Migrantes, inaugurou nessa terça-feira (25) o núcleo de mediação de conflitos, sendo um dos primeiros do país a funcionar dentro de uma unidade da PM.

Para a instalação do núcleo de mediação, 12 pessoas foram capacitadas em um curso de 80 horas, entre elas policiais militares, guardas municipais, assistentes sociais, professores, moradores e jovens da comunidade. “A mediação de conflitos é uma maneira pacífica de resolver situações onde há interesses diversos”, explicou o comandante da UPS, tenente Alexsandro de Souza, ao destacar que a mediação promove o diálogo entre as pessoas envolvidas, de modo que elas próprias construam a solução para o conflito.

A solenidade de inauguração contou com a presença de vários moradores do bairro, além de autoridades civis e militares, a exemplo do comandante Geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, dos promotores de Justiça Lúcio Mendes e José Farias Filho, da deputada estadual Estela Bezerra, e do prefeito interino do município, Luiz Antônio de Miranda.

O comandante Geral da Polícia Militar ressaltou que o núcleo é mais um espaço de proximidade da polícia com o cidadão e de diálogo entre as pessoas. “O diálogo é fundamental em todos os momentos da nossa vida e as Unidades de Polícia Solidária promovem isso, pois onde há solidariedade, há paz, tranquilidade e respeito entre as pessoas. A proximidade com o povo é uma das maiores conquistas da UPS”, disse o coronel Euller Chaves.

A UPS de Bayeux, que foi inaugurada em junho de 2014, levou diversos projetos sociais para os filhos dos moradores do bairro, a exemplo de oficinas de músicas, teatro e dança. Em relação à segurança, a unidade já acumula uma redução de 100% dos homicídios, quando comparado o ano de 2015, que teve o registro de seis homicídios no bairro, com 2016, que terminou com dois casos.