João Pessoa
Feed de Notícias

UEPB realiza 2ª Feira de Adoção de Cães e Gatos no Campus de Bodocongó

quinta-feira, 10 de junho de 2010 - 08:39 - Fotos: 

Animais são seres sencientes: como criar com responsabilidade. Essa é a mensagem da 2ª Feira de Adoção de Cães e Gatos no Campus de Bodocongó, atividade decorrente de projeto de extensão formado por alunos de Ciências Biológicas da Universidade Estadual da Paraíba. Numa tenda montada durante toda esta quarta-feira (9), no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da UEPB, em Campina Grande, os passantes tiveram oportunidade de adotar um animalzinho, receber informações sobre criação ou ainda ter a alternativa de apadrinhamento.

A professora do Departamento de Biologia da UEPB, responsável pelo projeto, Ana Paula Lacchia, relatou que resolveu trabalhar neste projeto quando se tornou professora efetiva da UEPB há dois anos e viu a situação de abandono e descaso dos animais, apesar de trabalhar com área de Botânica. “Fizemos uma primeira atividade na Praça da Bandeira (Centro de campina Grande), e desta vez resolvemos fazer aqui no campus de Bodocongó por perceber que boa parte da comunidade universitária não possui consciência do abandono de animais no campus”, relatou a professora.

Um grupo de alunos se engajou também para auxiliar a causa. Em 2009, a iniciativa virou um Projeto de Extensão cadastrado na Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PROEAC) e obteve duas bolsas para a cota 2009/2010.  “Temos dois projetos: um voltado para comunidade universitária, que são as feiras de adoção e tendas informativas; e outro, voltado para a educação nas escolas públicas municipais e estaduais de ensino médio e fundamental”, explicou Ana Paula. São 20 extensionistas nos dois projetos coordenados pela docente.

“Primeiramente, vamos trabalhar com o nível fundamental e mostrar para as crianças a educação humanitária, a compaixão por todos os seres vivos, o meio ambiente e o respeito aos animais’, explicou a coordenadora.

Sobre a iniciativa de hoje, a professora comentou: “Mesmo que a gente não consiga fazer com que todos os animais sejam adotados, a iniciativa é positiva pela visibilidade da ação. Para que as pessoas vejam, parem e deem atenção”. Ela também forneceu exemplos de animais que perambulavam doentes pelo Campus. “Nós temos que assumir responsabilidades. Como biólogos, resolvemos deixar de repassar o dever para os outros e assumimos a responsabilidade também”, completou Ana Paula.

A professora explicou que para a plena execução do projeto, há ajuda de cooperativas, clínicas e veterinários, que visam ao bem-estar do animal, incluindo a adoção e tratamento, nunca a eutanásia. Muitos destes locais não podem nem sequer ser divulgados porque acaba virando um “depósito” de animais abandonados. “Em vez de prestar ajuda, as pessoas acabam indo lá somente para deixar o animal”, disse.

Para quem não puder ou quiser adotar um animal, há a possibilidade de apadrinhamento, que consiste na doação de dinheiro, alimento ou medicamento. Para mais informação ou contribuição, os números de contato são (83) 8770-1153 e (83) 9624-7366.

Da Assessoria de Imprensa da UEPB