Fale Conosco

22 de junho de 2009

UEPB em Araruna beneficiará Curimataú e Brejo



Mais desenvolvimento econômico, cultural e humano para as regiões do Curimataú e Brejo paraibanos é o que vai proporcionar, já a partir do ano letivo de 2010, a instalação de unidade de ensino superior pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), na cidade de Araruna, distante 219,3 quilômetros de João Pessoa.

Esse marco na história da população ararunense beneficiará ainda as cidades de Cacimba de Dentro, Dona Inês, Campo de Santana, Riachão, Arara e até municípios do Rio Grande do Norte terão a oportunidade de ingressar num dos cursos oferecidos pelo Campus VIII da UEPB, sem a necessidade de se deslocarem para Guarabira, Campina Grande ou João Pessoa.

As instalações do campus já existem, foram construídas há sete anos na segunda administração do governador José Maranhão. Será a melhor infraestrutura de uma unidade da UEPB no interior da Paraíba. Haverá um vestibular especial e cada curso ofertará 50 vagas. 

No último domingo, após missa na igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Araruna, o governador do Estado assinou proposta dirigida ao Conselho Universitário da UEPB. Na ocasião, ele reafirmou seu compromisso com a expansão do ensino superior no Estado.

Os cursos – A princípio serão oferecidos os cursos de Odontologia, Gastronomia e Segurança Alimentar. Com a decisão do governo, a universidade estadual amplia o processo de interiorização e sua presença em Araruna vai trazer mais desenvolvimento econômico e social à região.

Pelo menos 20 prefeitos, vice-prefeitos e ex-prefeitos da região, além de vereadores e outras lideranças do Curimataú e Brejo, participaram da missa e da solenidade. A desembargadora e primeira dama do Estado, Fátima Bezerra Cavalcanti, participou da missa e da solenidade em Araruna. O deputado federal Marcondes Gadelha fez um pronunciamento com enfoque na educação. A missa foi celebrada pelo pároco de Campo de Santana, João Batista, e teve ainda a participação de outros padres e do secretário executivo do Desenvolvimento Humano, padre Nilson Nunes.

Centro de capacitação – Em seu pronunciamento na solenidade na igreja matriz de Araruna o secretário estadual da Educação, professor Francisco Sales Gaudêncio, revelou que a UEPB em Araruna é um presente para o Curimataú e o Brejo paraibanos. O campus VIII funcionará nas instalações do Instituto Superior de Educação, obra construída e inaugurada em abril de 2002. Lamentou que a UEPB não tenha sido ampliada nos últimos seis anos.

Sales Gaudêncio disse ainda que a universidade estadual é um centro de capacitação em várias áreas do conhecimento. Acrescentou que o campus será sobretudo um equipamento voltado à formação, ao investimento da pessoa humana, algo que não tem preço.

300 vagas – A reitora da Universidade Estadual da Paraíba, Marlene Alves, destacou que “o filho mais ilustre de Araruna trouxe o melhor presente, o melhor investimento que um governante pode fazer por sua terra”. Afirmou que a instituição tem hoje mais de 17 mil alunos nos sete campi e os três cursos que funcionarão no campus de Araruna vão ofertar cerca de 300 vagas. Ela disse que uma faculdade quando se instala numa cidade promove o desenvolvimento sob o aspecto econômico, porque atrai para áreas em torno do campus novos investimentos como moradia, restaurantes, papelarias, livrarias, água, lazer, e circula na cidade a folha de pagamento dos servidores e professores.

A reitora acrescentou que existe um desenvolvimento que não tem preço, que é o desenvolvimento humano, “é permitir que os jovens, sobretudo filhos de agricultores e outros trabalhadores, possam estudar, cursar uma escola de ensino superior”. Marlene Alves revelou que nos países desenvolvidos 60% dos jovens com idade entre 17 e 24 anos de idade conseguem ter acesso a uma universidade. No Brasil esse percentual é de apenas 12%, sendo que desse percentual apenas 3% dos jovens brasileiros têm acesso ao ensino superior.

Avaliação – A jovem universitária ararunense Renata Toscano de Medeiros, 24 anos, está concluindo o curso de Psicologia. Sobre a decisão do governador de implantar um campus da UEPB em sua cidade, ela afirmou que trata-se de uma ação que tem importância gigantesca. Não vai somente beneficiar Araruna, mas jovens de outras cidades. “Agora teremos condições de optar por um curso superior numa universidade pública e de boa qualidade como é a nossa universidade estadual”, revelou Renata, acrescentando que Araruna será um pólo universitário que enriquecerá muito a região.

Sabrina Soares dos Santos, 22 anos, afirmou que a UEPB em Araruna é sinônimo de crescimento da cidade, uma porta aberta ao ensino superior. Ela cursa enfermagem em João Pessoa e adiantou que pretende se tornar aluna do campus VIII da Universidade Estadual da Paraíba, em sua terra natal.

Júnior Macedo, 23 anos, natural de Cabedelo, mora em Araruna e avalia que a chegada da UEPB à cidade vai facilitar a vida dos jovens que desejam cursar o ensino superior. Hoje em dia muitos cursam faculdade em Guarabira, por exemplo. Júnior acrescentou que o campus da universidade estadual vai contribuir com o desenvolvimento cultural e até financeiro de Araruna.

Josélio Carneiro, com fotos de Walter Rafael, da Secom-PB