João Pessoa
Feed de Notícias

Três UPAs beneficiarão mais de 400 mil usuários da saúde pública

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 - 15:34 - Fotos: 

Foto: José Marques/Secom-PB

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Princesa Isabel, Cajazeiras e Guarabira vão atender um total de mais de 400 mil pessoas em suas respectivas regiões. A primeira inaugurada foi a de Guarabira, no último dia 26 de novembro. Anda neste ano, serão inauguradas a de Cajazeiras e a de Princesa Isabel. O coordenador de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Walber Alves Frazão Júnior, disse que as UPAs trabalharão em parceria com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu) 192, que já funciona em 70% da Paraíba.

Ao todo, o Governo do Estado está investindo R$ 10 milhões nas três UPAs. As unidades contam com serviços de pediatria, clínica geral, exames de raios-X, eletrocardiograma e exames laboratoriais. As unidades também manterão em até 24 horas os pacientes que aguardam internamento clínico. Serão realizados 150 atendimentos por dia.

A UPA de Princesa Isabel está orçada em R$ 3,3 milhões, referentes às obras e aquisição de equipamentos. Quando pronta, beneficiará, além do próprio município, as cidades de Água Branca, Imaculada, Juru, Manaíra, São José de Princesa e Tavares, englobando um total aproximado de 80 mil pessoas. Na unidade de saúde, será prestado atendimento diário, durante 24 horas, aos pacientes em situação de menor gravidade, reduzindo, assim, a demanda de casos de baixa complexidade da rede hospitalar.

Já a UPA de Cajazeiras está em fase de conclusão. Ela deve atender mais de 200 mil pessoas, moradoras de 17 cidades localizadas na Região do Alto Sertão, polarizada por Cajazeiras. Na UPA de Guarabira foram investidos na unidade R$ 3,5 milhões, sendo R$ 2,5 milhões nas obras e R$ 1 milhão em equipamentos. Em dois meses, a unidade já atendeu a cerca de 5,8 mil pessoas.

A instalação da UPA em Princesa Isabel é resultado de uma parceria entre o Governo do Estado e o governo federal, por meio do Ministério da Saúde. Ela funciona como intermediária entre as unidades básicas de saúde e os hospitais, com o objetivo de descentralizar e agilizar o atendimento, diminuindo o risco de morte dos pacientes.