João Pessoa
Feed de Notícias

Trechos de discursos e entrevistas são reproduzidos no programa de rádio ‘Palavra do Governador’

terça-feira, 29 de setembro de 2009 - 14:47 - Fotos: 
A produção do programa semanal de rádio ‘Palavra do Governador’ editou na edição desta terça-feira (29), trechos do pronunciamento e de entrevistas do governador José Maranhão durante a solenidade de assinatura da ordem de serviço para início das obras do Centro de Convenções de João Pessoa, ocorrida na segunda-feira (28).

As palavras finais do discurso do governador na assinatura da ordem de serviço foram reproduzidas no programa de rádio. “Obrigado, que Deus abençoe nossa terra, abençoe a cada um dos paraibanos e multiplique nossas forças para que possamos continuar sonhando e construindo a nova Paraíba”.

Em entrevista o governador afirmou que “alguns teimam em não acreditar que em tão pouco tempo tenhamos conseguido destravar a economia da Paraíba. Hoje, com obras em todos os quadrantes, nós fomos à luta e é por isso que hoje estamos aqui, como estamos em outros canteiros de obras espalhados em todo o Estado da Paraíba”, comemorou Maranhão.

Na rota do turismo – No discurso, o governador destacou as parcerias entre o trade turístico e o Governo da Paraíba. Ele afirmou que o Centro de Convenções, investimento de R$ 105 milhões, vai acionar o processo de construção do Pólo Turístico do Cabo Branco, empreendimento que terá hotéis e demais equipamentos turísticos agora com prazos para serem construídos e concluídos e que vão colocar definitivamente a Paraíba entre os roteiros turísticos do mundo.

O governador ressaltou a geração de empregos e renda, pois começam a surgir agora na construção o Centro de Convenções 450 empregos diretos e em pouco tempo “outros empreendimentos de valorosos empresários começarão a sair das pranchetas transformando os sonhos em realidade, para a felicidade dos paraibanos”.

Reforma completa – Sobre o projeto do Pólo Turístico do Cabo Branco, Maranhão afirmou que haverá uma reforma completa e para isso o Governo já realizou duas reuniões, uma a nível institucional com os empresários da área como Tadeu Pinto, “que é um pioneiro dessas idéias, além do senador Roberto Cavalcanti”. Na ocasião, foi formada uma comissão de alto nível composta por empresários e agentes do governo estadual para discutir o novo projeto do Pólo.

“Já estamos tomando as primeiras medidas para orientar a reformulação completa do projeto, dando-lhe mais atualidade, mais compromisso, inclusive, com o meio ambiente, e oferecendo aos empresários, eles que são o elemento gerador de todos os empreendimentos, a oportunidade de dizerem o que pensam e o que querem para a área em que vão trabalhar efetivamente”, observou Maranhão.

Novo tempo – “Um novo tempo começa efetivamente hoje, dizia Mao Tsé-Tung, e eu costumo sempre repetir essa frase, porque era um filósofo e ele dizia que a caminhada das mil léguas começava com o primeiro passo. Esse projeto não é para fracassar, ele vai ser feito com a graça de Deus e o empenho deste governo”, previu.

Em outro trecho de seu discurso Maranhão disse que “o relógio do Pólo Turístico começa a trabalhar e vai lembrar a todos que temos pressa em crescer e a Paraíba não tem mais tempo para perder. Esse é o nosso lema: a Paraíba não tem mais tempo a perder, temos que aproveitar como se hoje fosse ontem, como se amanhã fosse hoje”.

Maranhão agradeceu a Deus, por ele e sua equipe de governo terem conseguido destravar a obra, tanto o Pólo Turístico quanto o Centro de Convenções, que tinha pendências no Tribunal de Contas da União, na Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, e havia problemas também relacionados ao meio ambiente. “De forma que foi um trabalho organizado, racional e sério para atender todas as exigências desses órgãos e desses segmentos”, lembrou.

Ele afirmou ainda que agora foi dado o primeiro e definitivo passo para o turismo crescer, “para que se instale aqui os equipamentos, sem os quais a Paraíba não pode pensar em turismo moderno, não é só o Centro de Convenções, mas os equipamentos da iniciativa privada, como hotéis, restaurantes, lojas e todo um complexo turístico”.

Josélio Carneiro, da Secom-PB