João Pessoa
Feed de Notícias

TRE condecora presidente do STJ com medalha e diploma de mérito

quinta-feira, 24 de setembro de 2009 - 15:52 - Fotos: 
O ministro Francisco César Asfor Rocha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), foi condecorado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) em sessão solene realizada nesta quinta-feira (24), às 11h, na sala de sessões do órgão, com a Medalha de Alta Distinção da Justiça Eleitoral Paraibana ‘Desembargador Flodoardo Lima da Silveira’ e com o Diploma do Mérito Eleitoral, pela sua contribuição ao aperfeiçoamento do Direito.

Presente à solenidade, o governador José Maranhão disse que a homenagem era “justa e merecida porque o ministro César Asfor tem tido em relação à Paraíba uma atitude de muita simpatia, muito apoio aos interesses do Judiciário paraibano junto ao STJ. Somos sensíveis a atenção, ao respeito e à amizade que tem por nosso Estado; por isso está recebendo essa homenagem, tanto do Executivo como do Judiciário”, comentou.

O ministro disse que tem muitas ligações com a Paraíba, até porque é natural do Estado do Ceará, e se sentia muito sensibilizado por receber a condecoração. “Recebo isso como um estimulo para continuar trilhando essa vida de dificuldades que é a de acelerar a prestação jurisdicional”, afirmou César Asfor, ressaltando ser um parceiro da Justiça paraibana por reconhecer que no Estado existem grandes nomes na política, na literatura e na magistratura.

Livro – Durante a solenidade, o presidente do STJ lançou o livro ‘Cartas a um Jovem Juiz – Cada processo hospeda uma vida’, de sua autoria. “A obra destina-se aos jovens que almejam e desejam uma abordagem ampla, informativa e realista sobre a magistratura”, disse. Para isso,  o ministro Asfor Rocha expõe os caminhos, dificuldades, desafios e contentamentos de ser um juiz, acrescentando mensagens dedicadas aos magistrados que iniciam suas atividades.

“Na verdade, serve também um pouco para os que já estão na magistratura, para que o juiz nunca perca o sentimento e a consciência de que em cada processo hospeda uma vida, e mostra as relações que deve ter com a imprensa, com os advogados, o Ministério Público, com as famílias, os tribunais, sempre na condição de que o juiz não pode perder a concepção de que está permanentemente decidindo sobre vida, sobre a liberdade, sobre a honra, a fortunas das pessoas”, comentou. A solenidade teve a presença de ministros do STJ, desembargadores, juizes, advogados e auxiliares do Governo do Estado.

José Nunes, com fotos de Mano de Carvalho