Fale Conosco

22 de setembro de 2011

Trauma se transforma em hospital escola para alunos de instituições públicas e privadas



O Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena vem adotando uma série de medidas para otimizar o atendimento aos pacientes de urgência e emergência. Além disso, por meio do Núcleo de Estágios, Capacitação e Eventos (Nece), está funcionando também como hospital escola para aproximadamente 400 alunos estagiários provenientes de 16 cursos ministrados em 14 instituições credenciadas junto à unidade hospitalar. O Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor) reforçou a prática com a criação da Rede Escola.

Segundo ressaltou a diretora de Ações Estratégicas do Hospital de Trauma, Rosângela Guimarães, o hospital está de portas abertas para estreitar parceiras com instituições públicas e privadas de ensino superior que ofereçam cursos na área de saúde. Para isso, conforme acrescentou, é necessário disciplinar a atividade para que não haja prejuízos aos pacientes. Nesse sentido, a faculdade interessada precisa celebrar um convênio com o Cefor.

O convênio estabelece que cada faculdade disponibilize um preceptor (supervisor de estágio), pois com a demanda do Hospital de Trauma, os profissionais não podem dividir a carga horária de trabalho com a atenção que deve ser dispensada aos estagiários. “É imprescindível a presença do supervisor, pois os alunos não podem realizar condutas sem o acompanhamento de profissionais, devido os riscos de prejuízos sérios aos pacientes”, destacou Rosângela Guimarães.

Ela adiantou que para se fazer parceria com o Trauma no campo de estágios, a faculdade precisa trazer o termo de convênio assinado com o Cefor. Após a oficialização da parceria, os alunos devem se dirigir ao Nece portando o termo de responsabilidade da instituição que estuda, cópia de documentos pessoais, carteira de vacinação em dia, crachá da instituição com foto e seguro de danos pessoais.

Após o cadastro do aluno pelo Trauma, a instituição envia uma planilha de horários do discente e posteriormente o estágio é devidamente liberado.

O estágio supervisionado é uma atividade prática que oportuniza aos acadêmicos o desenvolvimento dos conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula, vivenciando a realidade de um hospital de grande porte como o Trauma. “Aqui, o aluno aprende a lidar com situações do dia-a-dia de um hospital, referente à profissão por ele escolhida. Se não fosse o Trauma, a maioria desses estudantes não teria a oportunidade de vivenciar a alta complexidade, e todos, independentemente da condição da faculdade, são bem vindos”, ressaltou a diretora de Ações Estratégicas.