Fale Conosco

21 de julho de 2011

Trauma inicia processo de regularização de servidores com contratação em regime celetista



A direção do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL) iniciou essa semana o processo de regularização de servidores com a solicitação de documentação e de preenchimento de ficha cadastral para a assinatura de contrato de trabalho com a Cruz Vermelha Brasileira, que começou a gerir a unidade desde 7 de julho em sistema de gestão pactuada.  Nesta gestão, o governo estadual vai participar com a fiscalização e execução de 40 metas no projeto nos próximos seis meses.

No mês de junho, o Governo do Estado desembolsou R$ 3,4 milhões com o pagamento das cooperativas médicas, funcionários efetivos e prestadores de serviço.    De acordo com dados do núcleo de Recursos Humanos do HETSHL, o hospital hoje conta com a mão de obra de dois mil servidores, incluindo o contrato de prestação de serviço com os médicos por meio de seis cooperativas, como Coomit (intensivistas), Cooped (pediatras), Coopanest (anestesiologistas), Coopecir (cirurgiões gerais), Neurovasc (neurocirurgiões, broncoscopistas, cirurgiões torácicos e cirurgiões vasculares) e Coort (ortopedistas).

Segundo o secretário de Saúde, Waldson Souza, o desligamento de alguns funcionários está ocorrendo porque muitos não se enquadram no perfil profissional do novo modelo da direção do Hospital. “Muitos profissionais não tinham tempo para trabalhar dentro da carga horária necessária para o atendimento”, informou o secretário.

A direção do Hospital pretende assinar os contratos dos servidores até o final da próxima semana, para isso, o núcleo de Recursos Humanos da unidade avisa que é preciso entregar até esta sexta-feira (22) a documentação solicitada e ficha cadastral preenchida em cada coordenação de setor, na qual o servidor for ligado. A contratação será em regime celetista (CLT).