Fale Conosco

20 de novembro de 2013

Trauma implanta protocolo para diminuir óbitos por infecção hospitalar



A rotina com o cuidado ao paciente ganhou um reforço no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. Nessa terça-feira (19) foi implantado o Protocolo Hospitalar de Abordagem à Sepse Grave e Choque Séptico, com o objetivo de diminuir os óbitos por infecção hospitalar.

O Trauma é o primeiro hospital público e segundo em toda a rede hospitalar da Paraíba a implantar o protocolo, que foi adaptado a partir de um guide line (diretriz) internacional adotado nos melhores centros médicos do mundo, como os Estados Unidos, que comprovou sua eficácia com a diminuição de até 50% da taxa de mortalidade por conta da infecção hospitalar.

Os principais fatores que influenciam a aquisição de uma infecção são o status imunológico, a idade (recém-nascidos e idosos são mais vulneráveis), o uso abusivo de antibióticos, os procedimentos médicos, em particular os invasivos, e as falhas nos procedimentos de controle de infecção.

Segundo o intensivista do Hospital de Trauma, Erickson Moura, responsável pela elaboração do protocolo, a rotina será executada por uma equipe multidisciplinar que começa com os cuidados prestados pela enfermagem e pelos médicos. “Das doenças diagnosticadas no ambiente hospitalar, o quadro séptico é a que tem mais probabilidades de morte”, destacou Erickson.

Ele lembrou que a rotina é eficaz já nas primeiras seis horas após o diagnóstico da sepse grave, com a observação de sintomas relacionados ao quadro da enfermidade, como febre alta e alta taxa de leucócitos, além da adoção de tratamento com o uso precoce de antibióticos e medidas para diminuir a disfunção orgânica gerada pela doença, a exemplo de insuficiência renal, hepática e hipoperfusão (diminuição de aporte de sangue para os órgãos alvos).

O diretor da assistência do Hospital de Trauma, Laécio Bragante, lembrou que a rotina será disponibilizada nos prontuários dos pacientes internos com um check list a ser seguido pelos profissionais da área assistencial, e em forma de material educativo, com exposição nos principais setores do hospital como as Unidades de Terapia Intensiva e Sala Vermelha (Emergência).

Nos últimos dois anos, como estratégia do Programa de Educação Continuada, mais de 50 protocolos foram implantados no Hospital de Trauma para melhorar a assistência aos usuários.