Fale Conosco

8 de junho de 2009

Trauma faz campanha para reduzir queimaduras durante festas juninas



Até o mês de abril deste ano, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, atendeu 405 vítimas de queimaduras. No ano passado, foram 1.303 casos. Para reduzir os acidentes, que se tornam mais comuns neste período junino, o hospital lança nesta terça-feira (9), às 10h, a campanha ‘Marcas que ficam para sempre’, de prevenção a queimaduras e que vai se estender durante todo o mês de junho. O lançamento acontece no Auditório Jussara Dantas, daquela unidade hospitalar.

Durante as festas juninas, a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Trauma registra um aumento de queimados e constatou que a maior parte dos acidentes acontece com crianças; daí a necessidade de se redobrar os cuidados.

Os números - De acordo com dados da UTQ, do total de atendimentos deste ano 260 casos foram de pequenas queimaduras, 87 do tipo média e 58 de grandes proporções. Este ano, quatro pessoas morreram vítimas desse problema e uma pessoa deu entrada com queimadura causada por uma bomba.

Ano passado, a UTQ registrou 1.303 casos de queimaduras, sendo 789 casos de queimaduras pequenas, 323 de médias e 191 de grandes queimaduras. De acordo com o Trauma, no dia-a-dia os agentes que mais causam acidentes são líquidos quentes, chamas, choque elétrico, álcool e produtos químicos. No período junino, os riscos de queimaduras com fogos de artifício aumentam.

Cuidados - O médico Saulo Montenegro, coordenador da UTQ, alertou que principalmente nesse período de festejos juninos não se deve permitir que crianças brinquem ou soltem fogos nem balões, é mais prudente deixá-las sempre distantes das fogueiras. Com relação aos adultos, eles precisam seguir as orientações dos fabricantes na hora de manusear os fogos.

Ele orienta que nos casos de pequenas queimaduras, uma das primeiras providências a ser tomada é lavar a área atingida com água corrente e em temperatura ideal para hidratar o local. Não se deve romper as bolhas e a área queimada deve ser protegida com um pano limpo. O uso de margarina, creme dental, entre outros produtos, não é recomendável. A pessoa toma um analgésico para aliviar as dores e logo em seguida é levada à Unidade de Tratamento de Queimados.

Heron Cid, da Assessoria de Imprensa do Hospital de Trauma