Fale Conosco

30 de dezembro de 2011

Trauma empossa comissão e estimula lavagem das mãos para evitar infecção hospitalar



“Lavar as mãos é a medida mais  econômica, simples, efetiva e democrática para evitar a infecção hospitalar.” Com esse alerta, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Hospital Estadual de Emergência e  Trauma Senador Humberto Lucena deu posse, nesta quarta-feira (28), no auditório da instituição, à Comissão Interna de Lavagem de Mãos.

Com a missão de realizar diagnósticos a respeito da prática da higienização das mãos, segundo avaliação da  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os servidores empossados receberam treinamento para atuar junto à Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) no trabalho que visa despertar e educar de forma permanente funcionários, pacientes, acompanhantes e visitantes sobre o simples gesto individual que é capaz de prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde: a lavagem das mãos.

Segundo a infectologista e coordenadora da CCIH, Maria Francisca Luiz, as mãos são uma das principais formas de transmissão de microrganismos, seja por meio do contato direto (pele, secreções etc.) ou indireto (por meio de objetos e superfícies contaminadas). “Nós sabemos que a transmissão da infecção em um ambiente hospitalar ocorre principalmente por contato, por isso esperamos que cada membro da comissão seja  um agente multiplicador dentro do seu setor,” explica a infectologista.

O enfermeiro José Equeleis também ressaltou a importância da comissão. “Sabemos que gestos simples podem fazer uma grande diferença. Todos nós devemos ter essa preocupação, já que é uma forma de nos protegermos também”, afirmou.

Entre as ações promovidas pela CCIH do Trauma estão treinamentos e capacitações de toda a equipe assistencial, além de ações concretas como substituição de dispenses de sabão e álcool em gel, adequação de insumos (papel toalha, água, sabão, álcool) para higienização, reformas e manutenção de equipamentos.