Fale Conosco

21 de novembro de 2012

Trauma e Cruz Vermelha realizam atendimentos no Distrito Industrial



O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena e a Cruz Vermelha Brasileira promoveram, nesta quarta-feira (21), mais uma etapa do projeto “Saúde sem Fronteiras”. A ação social foi realizada em parceria com o Sest/Senat no Distrito Industrial, em João Pessoa. Durante toda a manhã, foram realizados cerca de 1.000 atendimentos com os funcionários do segmento de transportes e com a população das comunidades circunvizinhas.

O evento contou com a participação de mais de 50 profissionais, divididos entre advogados, nutricionistas, dentistas, técnicos de enfermagem e de laboratório, enfermeiros, fisioterapeutas, estudantes e a turma de voluntários formados pela instituição. Foram oferecidos exames de glicemia, exames clínicos, aferição de pressão arterial, avaliação nutricional, classificação sanguínea e escovação.

Segundo o coordenador do Núcleo de Estágio, Capacitação e Eventos (Nece), Carlos Jayves, o evento foi muito produtivo para todos que participaram. “Estamos doando um pouquinho do nosso tempo, em prol da saúde preventiva. É por meio dessas ações que notamos como pequenas atitudes podem render vários frutos”, afirmou o coordenador.

De acordo com Rozimar Firmino, coordenadora de Promoção Social do Sest/Senat, a parceria entre os dois órgãos foi de extrema importância para os funcionários, alunos e participantes do projeto ‘Transporte Cidadania’ da instituição, já que puderam realizar exames preventivos relacionados à saúde. “Depois dessa ação que foi realizada hoje, já pensamos em ampliar a parceria para que mensalmente as comunidades que ficam próximas ao Sest/Senat possam ser beneficiadas”, comentou.

O voluntário Isaias Santiago relatou que sempre participa das ações realizadas pela Cruz Vermelha Brasileira. “É muito gratificante participar das ações que oferecem saúde preventiva a população. Ver as pessoas saindo satisfeitas com o serviço que está sendo oferecido é algo muito recompensador”, relatou.