Fale Conosco

1 de fevereiro de 2013

Transexualidade é tema do 2º dia de evento sobre visibilidade trans



semdh encontro lgbt visibilidade trans foto roberto guedes (16)O segundo dia da programação alusiva ao Dia da Visibilidade Trans (29 de janeiro) foi marcado pela mesa temática sobre “Transexualidade no Brasil – as lutas por direitos e cidadania”, com debates e depoimentos sobre a vida de travestis e transexuais. O evento, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH), aconteceu na tarde dessa quinta-feira (31), no auditório do Sesc – Centro de João Pessoa.

A gerente de direitos sexuais e de LGBT, da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, Roberta Shultz, disse que o principal objetivo da atividade foi incentivar o debate. “Existem pessoas que vivem isoladas da sociedade por medo da repressão e da discriminação. Promover debates e estimular a compreensão da temática pela sociedade também é papel do governo para se combater às discriminações”, comentou.

As transformações no corpo e na mente de um transexual homem e de uma transexual mulher foram destaques na discussão, que também trouxe reflexões acerca da utilização de substâncias tóxicas e proibidas no corpo, como o silicone industrial.

Para a representante da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Fernanda Benvenutty, o processo transexualizador requer muita atenção. “É preciso acompanhamento profissional por se tratar de um momento de muitos conflitos na mente de um transexual. Não podemos mais deixar que homens e mulheres se mutilem”, disse.

Fernanda Benvenutty mostrou imagens de pessoas que aplicaram o silicone industrial no corpo e que tiveram graves consequências. “Com o avanço das políticas públicas para a população LGBT é que vamos ter condições de mudar essa triste realidade. A instalação de ambulatórios específicos e serviços adequados é um marco na história de luta do segmento”.

Para Andreina Gama, do grupo de Trans Femininas, o debate foi muito esclarecedor, principalmente para quem está pensando em fazer mudanças no corpo. “Espero que os mais novos tomem conhecimento e procurem ajuda e acompanhamento. Essa liberdade é muito perigosa. Eu já tive várias amigas mortas por uso indevido de substâncias injetadas no corpo”.

A mesa temática também contou com a participação do representante da Associação Nacional de Homens Trans, Leonardo Maners, que parabenizou a iniciativa da programação. “O Governo da Paraíba avança e traz debates que há muito tempo não acontecia. Essa troca de saberes, junto com o movimento de LGBT´s é muito importante para a quebra dos preconceitos”.

O coordenador do Núcleo de Homens Trans de João Pessoa, Diego Rodrigues, também fez parte da solenidade, juntamente com a participação do movimento LGBT de João Pessoa e de familiares de usuários do Espaço LGBT.

Mudança de sexo – A Paraíba vai ganhar o primeiro ambulatório de saúde para cirurgias de redesignação sexual (mudança de sexo para transexuais homens e mulheres) pelo SUS.  O serviço ainda está em fase de implantação e deverá funcionar no Hospital Universitário Lauro Wanderley ou no Clementino Fraga, ambos em João Pessoa.

Campanha – Uma nova sessão de fotografias com o tema da campanha “Tire o Respeito do Armário” foi realizada com o público presente. A campanha vem sendo bem aceita nas redes sociais e, inclusive, também será divulgada pelo Governo do Estado de Minas Gerais.

Programação – Dentro do calendário de atividades alusivas ao Dia da Visibilidade Trans, acontece na próxima terça-feira (5), no auditório da sede do Conselho Regional de Psicologia (CRP13), a mesa temática “Atuação profissional de psicólogos, no atendimento às trans homens e trans mulheres”. Na quarta-feira (6), haverá a palestra “Promoção da cidadania LGBT para o enfrentamento à homofobia”, no auditório do Centro Operacional e Administrativo dos Correios, BR 230, KM 24 – Cristo Redentor.

Espaço LGBT – O Centro de Referência dos Direitos de LGBT e Combate à Homofobia na Paraíba (Espaço LGBT) oferece atendimento e orientação psicossocial e jurídica, e realiza ações de promoção dos direitos de LGBT. Foi criado para orientar e transformar o medo em oportunidades e funciona na Praça Dom Adauto, 58, Centro, em João Pessoa. Também atende pelo telefone 3221-2118 ou através do e-mail centrolgbtpb@gmail.com.