Fale Conosco

1 de junho de 2009

Tranquilidade nos primeiros dias do Maior São João do Mundo



A abertura do Maior São João do Mundo foi marcada pela segurança do cidadão com garantia de tranquilidade nas áreas dos festejos. A recomendação do Governo do Estado é que todas as providências da polícia sejam no sentido de manter a ordem, o equilíbrio e o exato cumprimento do dever.  Todos os efetivos vêm sendo acompanhados pelo secretário da Segurança e da defesa Social (SEDS), Gustavo Gominho e pelo executivo Coronel. Ramilton Cordeiro de Morais.

A determinação da equipe de segurança já apresenta os primeiros resultados. Diferente do ano anterior, por exemplo, o final de semana transcorreu com absoluta tranqüilidade. De acordo com dados estatísticos e comparativos gráficos, a criminalidade caiu este ano em relação ao ano passado em mais de 40% se levando em conta todas as formas de crime, especialmente contra vida, que serve de parâmetro para aferir a criminalidade.

As prisão e apreensões aumentaram 266%, fato explicado pelos técnicos da área que justificam a queda no número de ocorrências: menos 48%. Nenhum crime foi registrado apesar do público flutuante no Parque do Povo de mais de 600 mil pessoas. No ano passado, contudo, somente na abertura duas pessoas morreram vítimas de assassinatos e vários outros registros de crime contra o patrimônio, furtos e assaltos.

O único fato que mereceu destaque este ano em um dos Jornais de circulação estadual, foi uma jovem estudante de Engenharia Civil, na UFPB, atingida por uma latinha de cerveja, cujo nome não foi revelado na matéria, mas o fato está sendo apurado pela 2ª Delegacia Regional, junto ao Corpo de Bombeiros e os hospitais Antônio Targino e Clipsi a fim de que a sociedade seja informada da real versão do fato, saiba que as providências estão sendo adotadas e se sinta protegida.

A informação é que a jovem teria sido atingida no rosto. Por isso a polícia está fazendo um levantamento dos locais e de vendedores ambulantes que comercializam bebidas alcoólicas a fim de cadastrar e conscientizar que, em alguns casos em que fiquem comprovadas a omissão ou conivências eles poderão ser responsabilizados criminalmente.

Inise Machado – Segurança Pública

Fotos – Alberi Pontes