João Pessoa
Feed de Notícias

Trabalho da polícia foi realizado na Capital e várias cidades do Estado

quinta-feira, 13 de maio de 2010 - 13:22 - Fotos: 
A Polícia paraibana desencadeou, na madrugada desta quinta-feira (13), a ‘Operação Quark’ para cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita, Sapé, Guarabira, Rio Tinto e Baia da Traição. Durante a operação, foram realizadas 43 prisões, sendo 39 na Paraíba e quatro fora do Estado. Foram apreendidos quase 50 kg de crack, além de armas e munições Além da Paraíba, devem ser cumpridos mandados nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rondônia. O objetivo é interromper o tráfico de drogas perpetrado por uma associação criminosa formada por narcotraficantes com atuação interestadual. Trinta delegados estão liderando as equipes de execução.

A Polícia Civil solicitou o apoio da Polícia Militar e nas áreas indígenas a Polícia Federal e a Rodoviária Federal estão acompanhando os delegados. No total, cerca de 300 policiais participam da operação, que não tem data para terminar. O secretário da Segurança e da Defesa Social (SEDS), Gustavo Ferraz Gominho, concedeu coletiva à imprensa, na manhã desta quinta – feira (13), no auditório da Central de Polícia de João Pessoa.

As investigações iniciaram em julho do ano passado. O objetivo inicial era apurar a suposta existência de uma rede de tráfico de substancias ilícitas na cidade de Sapé (PB). O curso das investigações não só confirmou este fato como revelou uma cadeia maior do que se supunha, havendo, além de uma estrutura organizada, uma microestrutura a serviço do tráfico de Sapé e cidades circunvizinhas. “Nós temos a expressão mais clara de uma associação criminosa”, disse o delegado que coordenou a ação policial, Állan Murilo Terruel.  
 
Segundo Gustavo Gominho, 74% dos mandados já foram cumpridos. “A Polícia Federal costuma fazer uma avaliação e considera que um percentual acima de 60%, no primeiro dia, já é um sucesso total. Nós vamos continuar operacionalmente tentando fazer cumprir os mandados que ainda não foram cumpridos. E, dentro do inquérito, o delegado Alan Murilo vai aprofundar ainda mais essas investigações”, ressaltou o secretário.
 
A prisão dos envolvidos foi decretada pela autoridade judiciária da 2ª Vara da Comarca de Sapé. Os pedidos de prisão e de busca e apreensão foram feitos pelo delegado da Polícia Civil, Allan Murilo Terruel, que preside o inquérito policial que deu origem a esta ação.
 
A quadrilha desbaratada envolve, além de transportadores e depositários de drogas, fornecedores interestaduais e presidiários. Estes últimos negociavam entorpecentes, através de contatos telefônicos, muitos deles utilizando chips de celulares do tipo empresa.
 
Tráfico - A ‘Operação Quark’, que significa combate às energias negativas do tráfico de drogas, vem sendo acompanhada pelo GAECO – Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba, que realiza o controle externo das ações e opinou pelo deferimento do pedido de prisão de todos os envolvidos nessa ação criminosa.
 
 

Da Assessoria de Imprensa da Segurança e da Defesa Social