João Pessoa
Feed de Notícias

Teste rápido e outras ações marcam Dia Mundial de Luta Contra Hepatites Virais

terça-feira, 28 de julho de 2015 - 13:29 - Fotos: 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), desenvolveu uma série de atividades para lembrar o Dia de Luta Contra as Hepatites Virais, comemorado mundialmente nesta terça-feira, 28 de julho. As ações são desenvolvidas em toda a Paraíba e, em especial, no Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Dr. Clementino Fraga, em João Pessoa, referência no tratamento de hepatites virais.

A programação no Clementino Fraga começou nessa segunda-feira (27) e segue até esta quarta-feira (29), com orientações, vacinação, esclarecimento de dúvidas, exibição de vídeos sobre a prevenção das hepatites virais na sala de espera da unidade de saúde, além dos testes rápidos em todos os dias da campanha, no ambulatório.

A procura pelos testes é de suma importância porque, uma vez detectada a doença e iniciado o tratamento de maneira imediata, o paciente tem a possibilidade de uma condição de vida muito melhor. Nós, no Clementino, fazemos uma busca ativa. Ao invés de esperarmos a população nos procurar, oferecemos o teste para que qualquer pessoa possa fazer”, explicou a diretora geral do Complexo Clementino Fraga, Adriana Teixeira.

Para lembrar a data, foi ministrada uma palestra educativa voltada aos usuários do Clementino Fraga e apresentada uma peça teatral pela Companhia da Saúde e do Sorriso, composta por funcionários do Complexo. Através do humor, a Companhia leva ao público em geral algumas orientações de como combater e tratar diversas patologias, dentre as quais estão inseridas as hepatites virais.

“Além disso, ofertamos a vacina contra hepatite B e durante todo o dia testes rápidos para hepatite C, com o resultado pronto em menos de 30 minutos. A receptividade dos usuários foi ótima e a demanda espontânea”, disse a psicóloga do Clementino Fraga, Vera Lúcia Pereira. Vera informou, ainda, que nos dois dias de campanha mais de cem pessoas já fizeram o teste – que, de acordo com a vontade do usuário, também diagnostica a sífilis e a presença do vírus HIV. “Até então, todos os resultados foram negativos para as doenças. Vale lembrar que durante todo o ano o Clementino oferta os testes e qualquer pessoa pode ter acesso”, completou.

Sérgio Oliveira é funcionário público e, por ter parentes com hepatite, decidiu fazer o teste. “Vi o anúncio na televisão e procurei o serviço para saber se tenho a doença e tirar dúvidas. Minha tia e meu primo têm hepatite e percebo neles o quão importante foi diagnosticar a doença cedo. Hoje eles tratam a doença e vivem bem”, afirmou.

Já o mecânico Cristiano da Silva Almeida resolveu procurar o teste por influência de um companheiro de trabalho. “Meu amigo disse que o teste era rápido e resolvi vir fazer. Com as orientações, descobri que as hepatites são doenças silenciosas que atacam o fígado e que a prevenção é muito importante. Podemos contrair a doença cortando o cabelo, fazendo a barba e quanto mais cedo é descoberta, mais chance de um tratamento tranquilo e uma vida com qualidade”, disse ele.

Tratamento – Atualmente, os serviços de referência para o tratamento dos portadores de hepatite crônica estão em João Pessoa: Hospital Universitário Lauro Wanderley e Complexo Hospitalar Clementino Fraga. As medicações são disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e dispensadas pelo Centro de Dispensação de Medicamentos Excepcionais (Cedmex), que distribui para as 12 Gerências Regionais de Saúde.

A gerente operacional das DST/Aids/Hepatites Virais da SES, Ivoneide Lucena, explicou que o tratamento só deve ser feito por profissionais especializados (hepatologistas ou infectologistas) e a duração vai depender da resposta terapêutica de cada paciente, assim como das recidivas.“A cultura de que as hepatites não são doenças graves leva a uma interpretação bastante errada, uma vez que, se não for tratada no início, poderá levar à morte”, disse ela.

A gerente destacou, ainda, que a Paraíba tem muito a comemorar diante dos avanços visualizados nos últimos anos. “Nosso Estado conseguiu descentralizar os testes rápidos para 95% dos municípios, ofertados pela Atenção Básica, e qualificou mais de mil trabalhadores de saúde para atuarem com a tecnologia da testagem rápida. Implantamos um serviço de tratamento assistido no Clementino Fraga com equipe multiprofissional e ampliamos os equipamentos de exames laboratoriais para sorologias de hepatites”, pontuou.

Saiba mais – Na Paraíba e em todo o Brasil circulam os vírus A, B e C. O infectologista do Clementino Fraga, Francisco Bernardino da Silva Neto, alertou sobre a importância da prevenção das doenças e do tratamento precoce. “As hepatites transmissíveis, B e C, são as mais perigosas, porque podem desencadear cirrose e até câncer de fígado. Existe uma vacina extremamente eficaz contra a hepatite B, disponibilizada nos postos de saúde gratuitamente para homens e mulheres com até 49 anos”, informou.

Para a hepatite C, como a transmissão é feita através do contato com sangue contaminado, a atenção deve ser redobrada. “Os indivíduos que receberam transfusão de sangue até o período que a testagem não estava disponível (em meados da década de 80), aqueles que fazem manicure e pedicure em salões de beleza e a população em geral, devem procurar fazer os exames”, orientou o médico.

Dados na Paraíba – Este ano, já foram confirmados 32 casos de hepatite A e 30 de hepatite B, no Estado. No ano passado, foram contabilizados 294 casos de hepatite A e 166 de hepatite B. Já em 2013, confirmaram-se 487 casos de hepatite A e 181 de hepatite B. No que se refere à hepatite C, 16 casos já foram confirmados este ano. Em 2014, foram 86 casos confirmados. Já em 2013, 48 casos foram confirmados.