Fale Conosco

4 de junho de 2009

Terminal Pesqueiro da Paraíba deve ser inaugurado até dezembro



Após cinco anos sem avançar na sua implantação, finalmente o Terminal Pesqueiro da Paraíba será concluído e deve ser inaugurado até dezembro deste ano. Foi o que anunciou, nesta quinta-feira (4), o presidente do Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura (Conepe), Fernando Ferreira, após audiência com o governador José Maranhão, no Palácio da Redenção. Ele esteve acompanhado do prefeito de Mogeiro, Antonio José Ferreira.

Durante a reunião com o governador ficou acertado que a Conepe vai auxiliar a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca e a Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa) na elaboração de um programa de piscicultura para aproveitamento das águas dos mananciais, garantindo com isso a geração de mais oportunidade de trabalho e de renda para as famílias que serão beneficiadas.

Fernando Ferreira disse que veio a Paraíba atendendo a convite do governador Maranhão, para colaborar com o Estado no sentido de viabilizar a instalação deste projeto. Informou que o Terminal Pesqueiro da Paraíba é uma realidade e agora, com as novas ações empreendidas, acredita que finalmente será instalado.

O empreendimento terá sede em Cabedelo e contará com o selo de qualidade fornecido pelo Ministério da Agricultura, o que garante a certeza da sua entrada no mercado internacional. “O Terminal estará capacitado para colocar os produtos da pesca da Paraíba em qualquer parte do Planeta”, assegurou.

O projeto também vai beneficiar o pescador artesanal, aquele que atua na costa marítima e traz um produto nobre. Este terá uma área específica no local. As fazendas de criação de camarão também serão atendidas e, depois de inspecionados pelos técnicos, os produtos receberão o selo de garantia.

O Conselho Nacional de Pesca é integrado por todas as entidades de classe empresarial do setor pesqueiro, e deve colaborar para a consolidação deste segmento na Paraíba. “Será um Terminal Pesqueiro que poucos Estados têm, pois atenderá ao potencial paraibano, estimulando o crescimento dessa atividade”, disse Ferreira. A meta é atrair embarcações de outros Estados para produzir o atum e outras espécies, e com isso gerar renda e bem estar social.

José Nunes, com fotos de Walter Rafael