João Pessoa
Feed de Notícias

Técnicos da Embrapa estiveram no Estado para discutir o fortalecimento destas ações

sexta-feira, 21 de maio de 2010 - 11:51 - Fotos: 

A produção de fruticultura na Paraíba começa a ganhar uma nova dimensão a partir da consolidação de novas parcerias firmadas entre a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária (Emepa) e a Empresa Nacional de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que avançarão com novas tecnologias para melhorar a qualidade de frutas tropicais. Também está em processo de análise a produção orgânica de manga, que atenderá ao mercado internacional.

Nesta semana, a Emepa recebeu visita do chefe geral do Centro Nacional de Mandioca e Fruticultura da Embrapa, Domingo Haroldo Reinhardt, acompanhado do chefe adjunto, Aldo Vilar Trindade, quando discutiram com a diretoria ações para o fortalecimento da parceria visando as demandas tecnológicas necessárias ao Estado da Paraíba.
          
O diretor técnico da Emepa, Jorge Cazé Filho, informou que essa parceria existe desde a criação do Centro de Pesquisa do Abacaxi, em Sapé, tendo em vista o pioneirismo da empresa nas pesquisas com o abacaxi. “Nossa reunião foi muito proveitosa. Passamos um bom tempo distantes, sem esse intercâmbio, mas retomamos a parceria e agora pudemos conhecer os trabalhos  desenvolvidos pelos pesquisadores de lá e tivemos oportunidade de mostrar as nossas tecnologias em fruticultura”, afirmou.

Ele explicou que a produção orgânica de manga da Estação Experimental de Alagoinha, destinada a exportação para a Europa, será o próximo ponto de encontro do pessoal da Embrapa. “Essa parceria tem mão dupla:  o centro precisa de experiências que a Emepa tem e nós vamos buscar as tecnologias que a Embrapa desenvolveu e que podem ser adaptadas aqui na Paraíba”.

Fortalecer a interação entre Emepa e Embrapa

O chefe geral do Centro Nacional de Mandioca e Fruticultura, Domingo Haroldo, disse na reunião que assumiu a chefia do centro com o compromisso de visitar instituições, em especial a Emepa, pela sua tradição em pesquisa e para fortalecer a interação entre as duas instituições.

“Fomos bem recebidos. A diretoria organizou uma reunião técnica que durou praticamente o dia todo. Houve uma excelente participação dos pesquisadores da Emepa e juntamente com o colega pesquisador, Aldo Vilar Trindade, discutimos diversos aspectos, como as demandas atuais de pesquisa com mandioca e outras fruteiras tropicais”, comentou.  Segundo Haroldo, a partir de agora, com as linhas de atuação já definidas em conjunto, o trabalho  pode recomeçar.

Para o presidente da Emepa, José Costa, a visita dos pesquisadores é parte do novo momento que a Embrapa está vivendo ao apoiar órgãos de pesquisa com recursos substanciais por parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

“Na medida em que vamos utilizar os recursos vindos do PAC na reestruturação das nossas Estações Experimentais, com laboratórios, equipamentos para pesquisas, implantação de pastagens, importação de embriões na área a caprinovinocultura, tudo isso vai criar condições para que essa integração aumente ainda mais.”

José Costa informou que a Embrapa tem uma equipe de pesquisadores competentes, de prestígio internacional, e nesse contato com o pessoal do Centro Nacional de Mandioca e Fruticultura, que são áreas que interessam a Paraíba, foi decidido um enfoque bastante prioritário com relação à fruticultura tropical.

“Esse intercâmbio vai continuar. Vamos enviar nossos técnicos da mesma área  para Cruz das Almas (BA), onde está instalado o Centro da Embrapa de Mandioca e Fruticultura e, ao mesmo tempo, vamos transmitir algum aprendizado porque em alguns enfoques, em alguma particularidade da Paraíba, eles vão também assimilar o que nós temos”, comentou.

José Nunes, da Secom-PB