Fale Conosco

2 de outubro de 2013

Técnicos da Emater discutem Plano Brasil Sem Miséria na Paraíba



O Plano Brasil Sem Miséria, que o Governo do Estado vai executar a partir deste mês em 35 municípios paraibanos, por meio da Emater Paraíba, visa implantar Projetos de Estruturação Produtiva Familiar, com um investimento de R$ 11.520.000,00 para atender a 4.800 famílias, com recursos de R$ 2.400,00 por família.

Visando a execução do programa, está marcada uma reunião técnica para discutir a sua operacionalização, nesta quarta-feira (2), no escritório da empresa na cidade de Esperança, com a participação de extensionistas dos escritórios inseridos na área de abrangência do programa no Território da Borborema. A previsão de atendimento nesta região é de 2.100 famílias, com recursos da ordem de R$ 5.040.000,00.

Durante a reunião desta quarta-feira, os trabalhos serão coordenados pelos extensionistas Carlos José de Araujo Filho, Ricardo Silveira Lucas e Francisco de Assis Vilar e terá a participação do coordenador de Operações da Emater, Jailson Lopes e o extensionista Firmino Manoel Neto.

Na quinta-feira (3), a reunião será com os técnicos da Emater que atuam na Zona da Mata Norte, na sede da empresa na estrada de Cabedelo, quando também definirão as estratégias de trabalho para fazer chegar as ações até os agricultores familiares desta região, onde serão beneficiadas 2.700 famílias residentes em 19 Municípios, envolvendo recursos da ordem de R$ 6.480.000,00, com o mesmo valor de R$ 2.400,00 por família.

Segundo o presidente da Emater, Geovanni Medeiros, o Plano Brasil Sem Miséria vai beneficiar famílias do Território da Borborema e da Mata Norte, que vivem em situação de extrema pobreza e receberão fomentos de R$ 2.400, não reembolsáveis para atividades produtivas com uma perspectiva de geração e renda. “Estas famílias serão o público prioritário dos programas e políticas públicas do Governo Federal e do Estado, como tem sido a determinação do governador Ricardo Coutinho”, afirmou.

Plano BrasilSemMiséria foi lançado em junho de 2011 pelo Governo Federal e tem como prioridade para o meio rural ações de inclusão produtiva, a estruturação da capacidade de produção da agricultura familiar, por meio de assistência técnica diferenciada e estímulo para a geração de renda. Garante serviços públicos nas áreas de educação, saúde, assistência social, saneamento e energia elétrica.

A finalidade é contribuir para a melhoria da renda, da segurança alimentar e da diversificação da produção, para a manutenção e geração de postos de trabalho, em condições compatíveis com o equilíbrio ambiental e com os valores socioculturais dos agricultores envolvidos.

Para investir em ações de inclusão produtiva de atividades agrícolas, cada família recebe R$ 2.400,00 divididos em três parcelas, sendo a primeira de R$ 1.000,00 e as duas últimas de R$ 700,00.

A agricultora Lúcia de Fátima Pereira Feitosa, do Sítio Serrote do Gato, em Serra Branca, beneficiária do Brasil Sem Miséria e assessorada pela Emater no trabalho de criação de aves, é um modelo de perseverança. Obteve os recursos para iniciar a criação de galinhas e, agora, já pensa em ampliar a atividade, construindo novo aviário com parte do lucro e comprando mais aves.