João Pessoa
Feed de Notícias

Tânia Alves abre Seis e Meia 2010, que volta ao Espaço Cultural

terça-feira, 6 de abril de 2010 - 08:56 - Fotos: 
Após seis anos, o projeto Seis e Meia volta ao Espaço Cultural José Lins do Rego nesta quarta-feira (7) com show da cantora e atriz Tânia Alves, dona de uma sólida carreira que inclui teatro, cinema, televisão, mais de 20 discos e vários shows pelo Brasil e o exterior. A apresentação inaugura a edição 2010 do projeto Seis e Meia em João Pessoa, com abertura da cantora paraibana Diana Miranda, às 18h30, no Teatro de Arena. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudante).
O projeto foi iniciado em 2003 no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural. Durante dois anos, abrigou shows de grandes nomes da MPB, a exemplo de Nando Reis, Oswaldo Montenegro, Paulo Moska, Fafá de Belém e Lenine. O Seis e Meia é uma realização do Acorde Produções, com o apoio do Governo do Estado, através da Fundação Espaço Cultural (Funesc) e Rádio Tabajara.
 
Neste show, Tânia Alves vai mostrar músicas como "Quem eu Quero Não me Quer" (Raul Sampaio e Ivo Santos), "Alguém me Disse" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim) e "Ninguém é de Ninguém" (Toso Gomes, Luiz Mergulhão e Umberto Silva). De João Pessoa, o Seis e Meia segue para Campina Grande, onde a artista sobe ao palco do Centro de Convenções do Garden Hotel, com abertura da cantora Janine Lima.

Tânia Alves – Considerada uma das principais referências de “artista completa” do país, Tânia Alves já atuou em filmes, minisséries e novelas de destaque, trabalho que rendeu vários prêmios, e passeou entre boleros, músicas românticas, forrós e temas regionais. É também empresária. Em 1999, inaugurou o Spa Maria Bonita, em Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro.
 
Como atriz, participou de várias peças de teatro, a exemplo dos musicais ‘Ópera do Malandro’, ‘Viva o Cordão Encarnado’ (prêmio de atriz revelação pela APCT) e ‘E daí, Isadora?’ dirigida por Bibi Ferreira, além de peças não musicais como ‘Os Monólogos da Vagina’, sucesso de Miguel Falabella.

Atuou em filmes como ‘Cabaré Mineiro’ (Kikito de melhor atriz coadjuvante), ‘O Olho Mágico do Amor’ (prêmio de melhor atriz pela APCA) e ‘Paraíba, Mulher Macho’ (prêmio de melhor atriz no Festival Internacional de Havana e Festival Internacional de Cartagena).

Na televisão, Tânia Alves também teve presença marcante. Entre os trabalhos mais importantes estão o especial ‘Morte e Vida Severina’ (prêmio "Hondas" na Espanha e Emmy nos EUA), as minisséries ‘Lampião e Maria Bonita’ (medalha de Ouro nos EUA) e ‘Órfãos da Terra’ (prêmio de melhor seriado no Festival de Locarno, Suíça), além das novelas ‘Tititi’, ‘Pedra sobre Pedra’ e ‘O Clone’, na TV Globo; ‘Pantanal’ e ‘Mandacaru’ na extinta TV Manchete, e ‘Marcas da Paixão’ e ‘Essas Mulheres’ na TV Record.

Como cantora, realizou shows no Brasil e no exterior e já gravou mais de 20 discos, entre eles ‘Dona de Mim’, ‘Folias Tropicais’, ‘Humana’ (gravados na Bahia), ‘Brasil-Brazil’ (gravado nos EUA), ‘Todos os Forrós’ e uma coleção de CDs de bolero, incluindo ‘De Bolero em Bolero’ (gravado no México), que gerou o DVD do show homônimo, dirigido por Cláudio Tovar.

Diana Miranda – A cantora paraibana Diana Miranda tem um trabalho voltado para a música popular brasileira, através de ritmos nordestinos e africanos. No renomado Montreux Jazz Festival, Diana conquistou seu espaço na cena internacional. Foi lá que gravou, ao vivo, seu segundo CD, em concerto realizado no Miles Davis Hall.
A cantora também levou sua música para Mainz, Vienne, Loucalvo, Lancaster, Gampel, Cannes, Roma e Festival Ritmos do Mundo, na Cidade do Porto (Portugal).

Já esteve ao lado de artistas como Jimmy Cliff, Angelique Kijdo, Tonto David, Toure Kunda e Phill Collins e fez shows na França, Suíça, Áustria, Inglaterra, Portugal, Alemanha, Itália e Eslovênia.

Em sua carreira, Diana Miranda faz questão de destacar o trabalho de compositores do Nordeste brasileiro, a exemplo de Jackson do Pandeiro, Lenine, Naná Vasconcelos, Paulinho de Tarso, Kátia de França, Golinha, entre outros.


SERVIÇO:

Seis e Meia – Tânia Alves
Abertura: Diana Miranda
Quando: Quarta-feira (7), 18h30
Onde: Teatro de Arena do Espaço Cultural
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudante)

Assessoria de Imprensa da Funesc