Fale Conosco

25 de novembro de 2013

Subcomandante do Canil da PM participa de qualificação sobre terapia assistida por cães



A Polícia Militar da Paraíba (PMPB) ganhou mais qualificação no uso de cães para auxiliar na recuperação de pacientes com algum tipo de necessidade especial. O trabalho de cinoterapia, que é realizado há quase dois anos pelos integrantes do Canil da PM na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de João Pessoa (Apae-JP), está sendo ainda mais profissionalizado com a participação do tenente Roberto Heráclio no curso ‘Cães Auxiliando no Bem Estar Humano – módulo básico’, oferecido pela Apae para a Promoção de Terapias Assistidas por Cães.

A qualificação teve uma carga horária total de 27 horas aulas, na cidade de São Paulo (SP), e abordou temas como: Definição e Diferença entre: Atividade, Educação e Terapia Assistida por Cão; Bases Teóricas sobre Educação e Terapia Assistida por Cão; A Domesticação do Cão; Comunicação Cão x Humano; Prevenção às Principais Zoonozes, entre outros.

Abri minha visão sobre a utilização do cão em auxílio ao homem. Constatei que ele pode ser usado em diversas áreas, como a educação (nas escolas) e a saúde, além das novas linhas de adestramento e treinamento do cão. Tivemos aulas com os professores mais renomados dessa área”, contou Heráclio, subcomandante do Canil, ao frisar que todo o conhecimento adquirido será repassado aos outros policiais para agregar ao trabalho que já é feito pela corporação na Apae.

Cinoterapia – Apesar da Cinoterapia estar sendo bastante aplicada no Brasil, e principalmente nos países desenvolvidos, não existe ainda uma regulamentação nacional sobre a prática. Existem várias formas de aplicação da Terapia Assistida por Cão (TAC) e seus benefícios já estão cientificamente comprovados. Nessa atividade, o animal vira um facilitador no tratamento de pacientes que sofrem, por exemplo, com transtornos de desenvolvimento e de atenção.

Na Apae, em João Pessoa, as atividades do Canil acontecem todas as terças-feiras, com animais da raça golden retriever, que são treinados por pelo menos dois anos para desenvolverem a obediência avançada e suportarem estímulos agressivos.

Histórico – O Canil da Polícia Militar da Paraíba, fundado há 20 anos, pertence a 2º companhia do Batalhão de Operações Especiais (Bope), sediada em Cabedelo. No local, diariamente, os cães (divididos em três grupos: farejador, patrulheiro e show dog) são treinados e bem cuidados para auxiliar a corporação nas atividades policiais ou sociais.

Entre essas ações estão o policiamento em praças desportivas, controle de rebeliões e distúrbios civis, segurança em eventos públicos, faro de entorpecentes, além de apresentações ao público e a cinoterapia.