Fale Conosco

26 de maio de 2014

Sistema estadual de Cultura é tema de debate na cidade de Sousa



O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), promove nesta quarta-feira (28), na Universidade Federal da Campina Grande, Campus de Sousa, o debate sobre o Sistema Estadual de Cultura. O gerente executivo de Articulação Cultural da Secult, Pedro Santos, vai conduzir a palestra que faz parte da programação do I Festival de Audiovisual do Vale dos Dinossauros – Festissauro.

A Paraíba integra o Sistema Nacional de Cultura e, desde o mês passado, o Governo do Estado institucionalizou, através de Medida Provisória, o Sistema Estadual de Cultura. Isso implica que a Paraíba está inserida no modelo nacional de gestão de políticas culturais e está apta a receber recursos federais para o setor.

Estaremos levando o debate sobre o Sistema Estadual de Cultura ao Sertão. Na verdade, o debate já foi iniciado, desde 2011, quando visitamos os municípios falando da necessidade em efetivar os Sistemas Municipais de Cultura. Posteriormente, retornamos e apresentamos a metodologia do Plano Estadual de Cultura. Em seguida, novamente visitando as regionais, auxiliamos às realizações das Conferências Municipais de Cultura. Agora, mais uma vez, descentralizamos a discussão em torno das políticas culturais, levando essa palestra sobre o processo de implementação do Sistema Estadual de Cultura,” explicou Pedro Santos.

O Festival – O I Festissauro é uma realização da M2 Produções e nasce em plena efervescência da produção e difusão do audiovisual no Sertão do Estado. As atividades são realizadas pelos Pontos de Cultura, Cineclubes, Centro Cultural Banco do Nordeste, entre outros, que disponibilizam cursos, exibições itinerantes, produção de filmes e, consequentemente, o surgimento de diversos realizadores e difusores do audiovisual nesta região.

O evento, que acontece entre 26 e 30 de maio, no município de Sousa, irá congregar realizadores, produtores, estudiosos e espectadores do segmento audiovisual do Sertão paraibano, de outras regiões do Estado e do Brasil. A programação do festival conta com oficinas, workshops, homenagens, debates, premiações e lançamentos de livros e filmes. No total, o evento apresenta 46 produções audiovisuais em três mostras competitivas. “A proposta é abrir um espaço para divulgação e democratização do cinema na Paraíba, visando socializar e aumentar a produção local”, disse Leonardo Alves, um dos realizadores do Festival.