Fale Conosco

12 de abril de 2012

Sistema de gás natural será instalado em novas indústrias



As novas indústrias a serem implantadas na Paraíba já deverão ser instaladas com sistema de gás natural canalizado. A Companhia Paraibana de Gás (PBGás) está trabalhando no planejamento de extensão de seu gasoduto para atender aos novos empreendimentos, devendo aumentar a sua capacidade de fornecimento.

Na manhã da quarta-feira (11), uma equipe da PBGás esteve reunida com diretores da Companhia de Industrialização da Paraíba (Cinep) para a troca de informações em relação às novas indústrias. Estiveram na sede do órgão o diretor-presidente da companhia, Zenóbio Toscano, o diretor técnico comercial, Germano Lucena – que representou a Petrobrás Gás S.A (Gaspetro) –, e o gerente de mercado industrial e automotivo, Evaldo Mello. Eles se reuniram com a diretora de operações da Cinep, Eriene Suassuna, e com o engenheiro Antonio Lopes.

Na ocasião, a diretoria da empresa tomou conhecimento dos locais em que deverão ser instaladas as novas empresas, numa área que abrange os municípios de Alhandra, Caaporã, Pitimbu e Conde, situada a cerca de25 quilômetros do gasoduto que interliga a Paraíba e Pernambuco – especificamente no que concerne às cimenteiras e o Distrito Industrial de Caaporã. Já o distrito de Alhandra encontra-se nas proximidades da rede de distribuição da PBGás.

Zenóbio informou que, de posse das informações, a companhia já está realizando seus estudos para viabilizar o fornecimento de gás natural a essas novas indústrias. “Serão empreendimentos importantes chegando ao nosso Estado; empresas que utilizam o gás natural como matriz energética de produção ou em substituição ao coque de petróleo, contribuindo para a melhoria do meio ambiente”, disse.

Segundo Sampaio, a empresa está atenta ao perfil dessas indústrias e vai procurar atendê-las nesse tipo de demanda: “É um momento importante para a PBGás. São investimentos governamentais e privados que permitirão a expansão das nossas redes. Procuraremos desenvolver todas as alternativas possíveis para investir naquela região e atender às novas indústrias, o que elevará significativamente o fornecimento de gás natural ao segmento industrial”, salientou.

Eriene, por sua vez, adiantou que alguns desses grupos a serem instalados já formularam pedidos de infraestrutura para a utilização do gás natural. Zenóbio reforçou que os investimentos da PBGás incluirão alternativas para viabilizar as indústrias cimenteiras que estão se instalando nesses municípios.