João Pessoa
Feed de Notícias

Show de Paulinho da Viola inicia novo “Som das Seis”, em fevereiro

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011 - 10:06 - Fotos: 
O cantor e compositor carioca Paulinho da Viola, um dos maiores representantes do samba brasileiro, será a primeira atração do novo “Som das Seis”, projeto da Prefeitura Municipal de João Pessoa desenvolvido pela sua Fundação Cultural (Funjope), que através de parceria firmada com o Governo do Estado passa a acontecer no Espaço Cultural José Lins do Rego. O show de Paulinho da Viola inicia a edição 2011 do projeto no dia 18 de fevereiro.

O “Som das Seis” começou a ser realizado no ano passado pela prefeitura da Capital, com shows gratuitos às sextas-feiras, no Ponto de Cem Réis, sempre a partir das 18h, com uma atração nacional e abertura feita por artistas locais. A atração que vai abrir o show de Paulinho da Viola ainda não foi definida pela Funjope.

Paulinho da Viola nasceu em Botafogo, bairro tradicional da zona sul do Rio de Janeiro, em novembro de 1942. Filho do músico Cesar Faria, violonista integrante do conjunto Época de Ouro, teve contato constante com a música através do pai. Nos ensaios familiares do conjunto, Paulinho conheceu Jacob do Bandolim e Pixinguinha, entre muitos outros músicos que se reuniam para fazer choro e eventualmente cantar valsas e sambas de diferentes épocas.

Ao longo dos anos 70, Paulinho gravou em média um disco por ano, ganhou diversos prêmios e se apresentou por diversas cidades no Brasil e no mundo. Já nos anos 80, gravou mais quatros discos e manteve-se como um dos principais nomes do samba no país. Nos anos 90, entrou numa nova fase, onde a imprensa e os críticos passaram a vê-lo como um músico mais sofisticado e maduro.

O trabalho de Paulinho hoje é visto como um elo entre diversas tradições populares como o samba, o carnaval e o choro, além de suas incursões em composições para violão e peças de vanguarda.  Entre os seus maiores sucessos estão “Coisas do Mundo, Minha Nega”, “Sinal Fechado”, “Foi um Rio Que Passou em Minha Vida” e “Sei Lá Mangueira”.