Fale Conosco

18 de março de 2014

Setor de serviços da Paraíba expande 17% e registra 3º maior crescimento do país em janeiro



O setor de serviços da Paraíba mantém dinamismo e abre o ano com expansão nominal de 17% em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgado nesta terça-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Paraíba registrou o terceiro maior índice do país no primeiro mês do ano, enquanto o Distrito Federal (19,1%) e o estado de Goiás (17,8%) lideraram o ranking.  

O desempenho do setor na Paraíba ficou bem acima da taxa de crescimento do país em janeiro (9,3%). A pesquisa de serviços do IBGE começou a ser divulgada no ano passado. Nos dez meses contabilizados, janeiro apresentou o melhor índice de crescimento da economia paraibana. No acumulado de doze meses, contados a partir de fevereiro do ano passado, a alta é de 11,8%.

Segundo o IBGE, os serviços prestados às famílias em janeiro com a ampliação das demandas turísticas na alta estação como, por exemplo, os meios de hospedagem e estabelecimentos do ramo de alimentação, apresentaram os melhores desempenhos, além de transportes de cargas, serviços auxiliares dos transportes e correios e serviços profissionais, administrativos e complementares como imobiliárias e técnicos profissionais como telemarkenting.

O aquecimento da receita de serviços na Paraíba foi refletido nos postos de trabalho com abertura de 914 postos dos 1.065 criados no mês de janeiro na Paraíba. O saldo de empregos do Estado registrou a maior alta em janeiro na série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregos).

O setor de serviços é o de maior peso no Produto Interno Bruto (PIB) na economia brasileira e também paraibana. Junto com administração pública e o comércio, o PIB de serviços representa mais de 74% da economia paraibana. A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), primeiro indicador conjuntural mensal que investiga o setor de serviços no país, abrange as atividades do segmento empresarial não financeiro, exceto os setores da saúde, educação, administração pública e aluguel imputado (valor que os proprietários teriam direito de receber se alugassem os imóveis onde moram).

Ranking do crescimento do setor de serviços em janeiro

 

Unidade da Federação Taxa de crescimento em janeiro
Distrito Federal

 

19,1%
Goiás

 

17,8%
PARAÍBA 17%
Amazonas

 

15,8%
Mato Grosso do Sul

 

12,8%
Alagoas

 

12,6%
Acre

 

11,8%
Santa Catarina

 

11,3%
São Paulo

 

11,2%
Tocantins

 

10,9%
Pernambuco

 

9,6%
BRASIL

 

9,3%
Rio Grande do Norte

 

8,8%
Sergipe

 

8,7%
Ceará

 

8,4%
Rondônia

 

8,4%
Rio de Janeiro

 

8,2%
Paraná

 

7,8%
Roraima 6,6%

 

Rio Grande do Sul

 

6,3%
Amapá 5,6%

 

Maranhão

 

5,1%
Espírito Santo

 

5,0%
Minas Gerais

 

3,6%
Bahia 3,1%
 

Piauí

 

2,5%
Pará

 

1,4%
Mato Grosso

 

0,6%

Fonte: IBGE/PMS