Fale Conosco

7 de julho de 2013

SES tem mais de 13 mil unidades de Tamiflu em estoque para combate à Influenza



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) recebeu do Ministério da Saúde 18.280 unidades do antiviral Tamiflu para ser distribuído por todo Estado reforçando o combate à gripe Influenza. São 2.400 cápsulas de 30mg, 980 de 45mg e 14.900 de 75mg. Destas, 13.470 ainda estão em estoque em todas as apresentações.

Segundo a chefe do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas da SES, Ana Estela Pachá, os municípios solicitam às Gerências Regionais de Saúde, que encaminha o pedido à Central de Abastecimento Farmacêutico do Estado, que envia o medicamento e faz monitoramento do uso para repor estoque.

O Tamiflu é recomendado em casos de Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). De acordo com definições do Protocolo de Influenza do Ministério da Saúde, o individuo com SG apresenta febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaleia, mialgia ou artralgia, na ausência de outro diagnóstico específico.

Em crianças com menos de dois anos de idade, considera-se também como caso de síndrome gripal a apresentação de febre de início súbito e sintomas respiratórios (tosse, coriza e obstrução nasal), na ausência de outro diagnóstico específico.  Já na SRAG o indivíduo de qualquer idade, com SG, apresenta dispneia, sinais de desconforto respiratório, aumento da frequência respiratória avaliada de acordo com idade ou hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente.

A prescrição e o acesso rápido ao Tamiflu é uma das principais recomendações do Protocolo de Tratamento de Influenza 2013, manual que orienta e atualiza a conduta dos profissionais de saúde no manejo da doença. Para atingir sua eficácia máxima, o medicamento deve ser tomado nas primeiras 48 horas após o início da doença, na forma grave. Entretanto, mesmo ultrapassado esse período, o Ministério da Saúde indica a prescrição do antiviral.

Todas as pessoas integrantes dos grupos que tenham condição ou fator de risco e que apresentem sintomas de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) – como crianças menores de dois anos, gestantes, puérperas, indígenas, idosos, obesos e doentes crônicos – devem tomar o medicamento, mesmo que não ocorra o agravamento da doença.

“Abastecemos todas as Gerências Regionais de Saúde para dar suporte quando necessário, porém é imprescindível  que os municípios organizem seu fluxo interno de distribuição para suas unidades que deverão realizar controle de entrega, estoque e distribuição, sendo de responsabilidade da Unidade Básica de Saúde (UBS) a solicitação segundo a sua demanda. Caso alguma UBS não tenha sido abastecida, o profissional de saúde deverá entrar em contato com a Secretaria de Saúde do seu município”, disse Anna Estela.

De acordo com a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, o Governo do Estado tem facilitado o acesso ao medicamento. “Esse acesso tem que ser rápido para os pacientes que apresentem os sintomas de gripe. Todos que precisarem terão acesso ao antiviral, mas é importante lembrar que é necessária a prescrição médica”, disse.