Fale Conosco

5 de julho de 2012

SES propõe a capacitação de professores da rede pública sobre Práticas de Educação em Saúde



Os integrantes do I Fórum Paraibano de Práticas de Educação em Saúde estão propondo a realização de cursos de  formação em sexualidade, prevenção das DST/Aids e Hepatites virais  para professores da rede pública de ensino. O objetivo é que os docentes tornem-se agentes multiplicadores sobre estes temas nas salas de aula. O I Fórum aconteceu nesta quinta-feira (5), no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba (CEFOR-PB)

A gerente Operacional DST/Aids, Ivoneide Lucena, e representantes das 12 Gerências Regionais de Saúde do Estado, participaram do evento, que é promovido pela Associação de Prevenção a Aids (Amazona). Na palestra de abertura do evento, a gerente Ivoneide Lucena falou sobre os desafios existentes na promoção do diálogo entre saúde e educação nas escolas paraibanas. A gerente operacional DST/AIDS da SES apresentou proposta para realização do I Curso de Formação Sexualidade, Prevenção das DST/Aids e Hepatites Virais, voltado para os professores da rede pública estadual.

“Para promovermos o diálogo entre a saúde e a educação nas escolas, e discutir temas recorrentes e de grande importância para a formação dos jovens, como sexualidade, drogas, gravidez, homofobia, precisamos capacitar os professores. Desta forma eles poderão levar e conduzir estes temas nas salas de aula de forma responsável e esclarecedora, ajudando, inclusive, na prevenção de doenças e comportamentos de risco. Por isso, a SES propôs à Secretaria de Estado da Educação a realização de um curso de formação à distância para 300 professores da rede pública estadual e já recebemos a sinalização positiva para viabilizar esta iniciativa”, informou Ivoneide.

Vagas – De acordo com a gerente Operacional DST/Aids da SES, as trezentas vagas serão distribuídas entre professores da rede estadual de ensino, envolvendo os três Pólos de Educação: Cajazeiras, Patos e Campina Grande. O Curso de Formação no sistema de Ensino à Distância, terá duração de seis meses, e ajudará na interiorização da discussão de temas envolvendo sexualidade e prevenção das DSTs/Aids e Hepatites Virais nas escolas paraibanas.

“O próximo passo será lançar o edital para começarmos a viabilizar a capacitação, que deve beneficiar profissionais de pelo menos 15 municípios”, explicou Ivoneide. Ainda não há data definida para o lançamento do referido edital.

Para a representante da Associação de Prevenção a Aids (Amazona), Dora Delfino, a capacitação dos professores é parte fundamental na promoção do diálogo entre saúde e educação, e consequentemente na formação dos jovens. “O desafio em falar do corpo, da sexualidade e de todos os tabus que envolvem estes temas é muito grande. Os professores precisam saber trabalhar estas discussões dentro das salas de aula, tanto na rede pública, quanto na rede privada de ensino, para, de fato, contribuir com a formação e com a prevenção de doenças. Por isso, a capacitação destes profissionais é essencial neste processo”, disse.

Composição – O I Fórum Paraibano de Práticas de Educação em Saúde também conta com a participação da Rede de Prevenção as DST/HIV/Aids e Hepatites Virais, Fórum ONG/Aids e Hepatites Virais, Secretaria de Estado da Educação e com a Seção Municipal de DST/HIV/Aids de João Pessoa.

As discussões sobre a intersetorialidade entre educação e saúde acontecem durante todo o dia, até 17h, distribuídas em grupos de trabalhos acerca dos temas Juventudes e a Educação em Saúde; Promoção em Saúde e a Educação Permanente; Desatando os Nós da educação em saúde nos espaços da Escola e Direitos Humanos: Saúde e Educação dialogando os estereótipos de gênero e homossexualidade.