João Pessoa
Feed de Notícias

SES-PB participa da programação especial dos quatro anos do Centro de Referência em Esclerose Múltipla

segunda-feira, 21 de novembro de 2016 - 16:10 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom Pb

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), por meio da Área Técnica de Atenção à Pessoa com Deficiência, participou, na manhã desta segunda-feira (21), da programação especial para comemorar os quatro anos do Centro de Referência em Esclerose Múltipla da Paraíba (CremPB). A solenidade de abertura das atividades, que se estenderão durante toda a semana, aconteceu no auditório da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad) e contou com a presença da vice-governadora Lígia Feliciano.

A iniciativa da SES-PB ao criar o CremPB, que funciona na Funad, faz com que o estado seja referência no diagnóstico e tratamento da esclerose múltipla, com importantes avanços tanto na detecção quanto no tratamento da doença. “Sabemos a dificuldade que é o diagnóstico e o tratamento da esclerose múltipla. O Centro atende pacientes que antes não tinham onde procurar um atendimento adequado. Fico muito feliz em saber que a Paraíba proporciona um serviço de excelência e faço questão de conversar com os pacientes e testemunhar de perto as evoluções. São pessoas que foram acolhidas e tiveram suas vidas transformadas”, afirmou a vice-governadora Lígia Feliciano, durante o evento.

Representando a SES-PB na comemoração, o coordenador da Área Técnica de Atenção à Pessoa com Deficiência, Hélio Soares, comentou que antes do Crem-PB existir a esclerose múltipla era uma patologia subnotificada, com diagnósticos imprecisos e tratamentos inadequados. “Em quatro anos de serviço, o Centro mudou a realidade da esclerose múltipla na Paraíba. Depois de implantado, a doença passou a ser foco de discussões, novos casos foram identificados e, consequentemente, mais tratamentos iniciados com qualidade”, disse ele

Hélio Soares comentou, ainda, que, por ser uma doença auto-imune e ainda sem cura, os pacientes e profissionais que lidam esclerose múltipla merecem atenção redobrada. “O Centro se preocupa com os pacientes, realiza busca ativa e capacita frequentemente os profissionais, através de atividades formativas e educativas. Quanto mais precocemente feito o diagnóstico, melhores as chances de conviver com a doença. É um orgulho para a SES-PB participar do processo de consolidação desse serviço que atualmente é referência para todo o país”, pontou.

A presidente da Funad, Simone Jordão, destacou a importância de comemorar a data. “O CremPB é uma referência e já atendeu, nesse período, mais de 300 pessoas, além de ser um agente multiplicador de conhecimento sobre o assunto”, afirmou.

A equipe do Centro de Referência em Esclerose Múltipla da Paraíba é composta por médico neurologista, enfermeiro, técnico de enfermagem, assistente social, fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo e farmacêutico. A coordenadora do CremPB, a neurologista Bianca Oliveira, comentou as várias atividades desempenhadas: “O Centro funciona em estreita articulação com os demais serviços públicos de saúde, principalmente com os hospitais para atendimento às intercorrências dos pacientes com esclerose múltipla e demais instituições do SUS. O intuito é estruturar uma rede efetiva de promoção, proteção e recuperação da saúde das pessoas diagnosticadas com a doença”, informou.

Durante o evento, o presidente da Associação Paraibana de Esclerose Múltipla, Severino Araújo, comentou que é preciso medir o tempo em antes e depois do CremPB. “O Centro acolhe os pacientes de maneira humanizada, de modo que eles se sentem em casa e verdadeiramente cuidados. O tratamento clínico é imediato para minimizar os sinais e sintomas da esclerose múltipla. Percebemos a competência e o carinho dos profissionais que estão cada vez mais qualificados para lidar com a doença”, disse ele.

EM – A esclerose múltipla é caracterizada pela medicina como uma doença neurológica, crônica e autoimune, isto é, as células de defesa do organismo atacam o próprio sistema nervoso central, causando lesões cerebrais e medulares.

Mesmo com causa desconhecida, os estudos feitos pelo mundo têm representado uma significativa evolução no tratamento da doença, contribuindo para melhoria na qualidade de vida dos pacientes, geralmente jovens do sexo feminino na faixa etária dos 20 aos 40 anos.

A esclerose múltipla não tem cura e pode se manifestar por diversos sintomas, a exemplo de fadiga intensa, depressão, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, entre outros.