Fale Conosco

6 de junho de 2011

SES mostra ocorrência de meningite abaixo da média dos últimos quatro anos



A Secretaria de Estado da Saúde divulgou uma nota técnica esclarecendo a situação epidemiológica das meningites no Estado da Paraíba devido a alguns casos que foram registrados este ano. Segundo a nota, no período de 2007 a 3 de junho de 2011 foram notificados 1.111 casos suspeitos de meningite. Desse total, 396 foram confirmados, o que representa 35,9 % dos notificados. Este ano, a SES confirmou 10 casos, sendo seis em janeiro e quatro no mês de março.

De acordo com Júlia Vaz, gerente de vigilância à Saúde da SES, a ocorrência da doença neste ano encontra-se abaixo da média esperada. “A referência para avaliação comparativa foi a média de casos dos últimos quatro anos, durante o primeiro semestre dos anos de 2007 (com 37), 2008 (74), 2009 (58) e 2010 (42), totalizando 211 casos confirmados no período, o que representa uma média de 52,7. Em 2011, foram confirmados 10 casos, o que dá uma média bem inferior aos demais anos”, explica.

A nota avalia também a letalidade da doença do tipo meningocócica. No período de 2007 a 3 de junho de 2011, segundo registro no Sistema de Informação de Mortalidade (Sim) foram sete óbitos. O ano com o maior número de mortes foi o de 2008 com três ocorrências fatais. Este ano, uma pessoa morreu vítima da doença no município de São Bento.

Meningite – A meningite é um processo inflamatório das meninges (membranas que recobrem e protegem o cérebro e a medula espinhal), que pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus e fungos, dentre outros, e também provocadas por processos não infecciosos.

Em geral, a transmissão é de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções da nasofaringe, havendo necessidade de contato íntimo (residentes da mesma casa, colega de dormitório ou alojamento) ou contato direto com as secreções respiratórias do paciente. Os indivíduos de qualquer idade são suscetíveis às meningites, entretanto, o grupo etário de maior risco para adoecimento é o de crianças menores de cinco anos.

Prevenção através de vacinas – As vacinas contra meningite são específicas para algumas bactérias, mas não existe uma que proteja contra todos os tipos de meningite.

As vacinas disponíveis no calendário básico de imunizações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) que protegem contra algumas formas de meningite são: Tetravalente, que imuniza contra doença invasiva incluindo a meningite causada pelo Haemophilus influenzae tipo b e também contra os agentes causadores de coqueluche, difteria e tétano; a BCG, que protege contra as formas graves de tuberculose, incluindo a meningite tuberculosa.

A outra vacina é a Meningococica C Conjugada, que protege contra as doenças invasivas pela bactéria Neisseria meningitidis do sorogrupo C que provoca infecções graves, muitas vezes fatais, como a meningite e a sepse.