Fale Conosco

2 de abril de 2012

SES inicia implantação dos testes rápidos de HIV e sífilis na Atenção Básica das Gerências Regionais



As unidades de Atenção Básica do Programa Saúde da Família dos 223 municípios da Paraíba realizarão os testes de rápidos de HIV e sífilis com as gestantes durante as consultas do pré-natal no 3º e 7º meses de gestação. A implantação dos testes começou a ser feita pela Gerência Operacional de DST/Aids e Hepatites Virais, da Secretaria de Estado da Saúde, na 4ª Gerência Regional de Saúde (GRS) de Cuité. Foram treinados trabalhadores dos 12 municípios que fazem parte da região.

Neste mês, o treinamento e implantação dos testes rápidos acontecerão na 8ª GRS, com sede na cidade de Catolé do Rocha. Em maio, será a vez da 9ª GRS, com sede em Cajazeiras, onde já aconteceu reunião com a Gerência Municipal de Saúde para preparar um treinamento.

A Gerência Operacional de DST/Aids e Hepatites Virais da SES também participou de uma vídeoconferência com o Departamento de DST/AIDS/HIV do Ministério da Saúde (MS), que informou que a Paraíba saiu na frente no que diz respeito à implantação dos testes rápidos junto à rede de Atenção Básica.

Como funciona – O teste rápido será realizado a partir da punção digital e pode ser feito em Policlínica, Unidade Mista, Laboratório ou Unidade Básica de Saúde (UBS). Se uma sala for reservada para a realização do procedimento é importante que tenha o piso lavável, seja bem iluminada, tenha pia (não é obrigatório mas recomendável). O fundamental é que a sala tenha condições de higiene e garanta privacidade.

“É imprescindível que o profissional que iniciar o processo de aconselhamento com o usuário seja o mesmo que entregue o resultado. O processo também pode ser todo feito pelo mesmo profissional que vai do pré-teste, realização do procedimento e entrega do resultado (laudo) no aconselhamento pós-teste. Nenhum resultado de teste deve ser entregue sem o aconselhamento pós-teste”, explicou a gerente operacional de DST/Aids e Hepatites Virais, Ivoneide Lucena.

Não é necessário dispensar uma sala exclusivamente para a realização do teste. É possível utilizar-se um carrinho móvel para execução do teste rápido em qualquer sala disponível na unidade, até mesmo em um carrinho de emergência. Há também a necessidade de geladeira para armazenamento dos testes, podendo ser específica, ou utilizar-se a mesma geladeira que armazena as amostras até que sejam enviadas ao laboratório. Nunca se deve armazenar os testes na geladeira com vacinas ou medicamentos.