João Pessoa
Feed de Notícias

SES e Seap fazem ação de saúde conjunta com detentos do Róger

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012 - 16:10 - Fotos:  Cláudio César/Secom-PB

Foto: Cláudio César/Secom-PB

Aproximadamente cem detentos da Penitenciaria Flósculo da Nóbrega, o Presídio do Róger, realizaram, nesta quinta-feira, testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite, além de vacinação e exames de glicemia e aferição de pressão. A ação foi promovida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que coletou sangue para exames sorológicos de sífilis e hepatite. Os funcionários do presídio também fizeram os exames.

A gerente de Saúde da Seap, Sílvia Suassuna, disse que foi elaborado um calendário de ações em saúde que serão realizadas nos presídios do Estado. “A próxima ação aqui no Presídio do Róger vai acontecer no dia 14. Mas também serão contemplados os outros presídios como o PB-1, PB-2 e a Máxima. Dependendo da quantidade de detentos que faltarem, incluiremos mais dias de ações no calendário. O importante é que façamos os exames preventivos em todos”, disse.

Assim como ela, o diretor do Presídio do Róger, Josenildo Porto Wanderley, destacou a importância das ações para garantir a saúde da população carcerária do Estado. “O Róger é a porta de entrada dos detentos da Paraíba. Cerca de 98% das pessoas que vão para os presídios passam por aqui, como acontece com os presos provisórios. Habitualmente, já é feita uma triagem com todos que chegam, por meio do Programa de Saúde nos Presídios (PSP), onde fazemos um questionário e alguns exames. Mas essa ação é sempre bem-vinda porque faz exames mais completos e ainda imuniza os detentos”, observou.

Os testes rápidos foram aplicados pelos profissionais dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) e Serviços de Atendimento Especializado (SAEs) que receberam treinamento durante dois dias no Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento (Cefor). O novo teste rápido faz o diagnóstico em HIV e a triagem em sífilis e hepatite B. A SES já tem equipes treinadas em 130 serviços de saúde de 50 municípios.

Foto: Cláudio César/Secom-PB

Testes rápidos – Os testes rápidos podem ser realizados tanto nos CTAs e SAEs como também nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e ambulatórios especializados. A diferença entre o teste rápido em HIV para o teste rápido em sífilis ou hepatite B é que o primeiro oferece o diagnóstico sobre a doença, ou seja, confirma se a pessoa tem ou não HIV. Já o segundo apenas faz uma triagem, ou seja, detecta que foi verificado algum reagente, mas não confirma se é sífilis, hepatite B ou outra doença.

Se o teste rápido em sífilis e hepatite B der reagente (o que implica dizer que há possibilidade de haver uma das doenças), a pessoa é encaminhada para fazer uma sorologia confirmatória. “Esse teste é um método muito sensível e, por isso, pode detectar a reagência de mais vírus”, explicou a gerente operacional de DST/Aids da SES, Ivoneide Lucena.

A SES distribui, mensalmente, os testes rápidos entre as Gerências Regionais de Saúde mediante monitoramento e avaliação para repor e abastecer os serviços. Ivoneide explicou que a vantagem dos testes rápidos é que sua execução não depende de equipamentos sofisticados.