Fale Conosco

10 de março de 2014

SES divulga balanço de atendimento no carnaval nas principais Unidades de Saúde do Estado



A Secretaria de Estado da Saúde divulgou balanço do atendimento no período carnavalesco nas principais Unidades de Saúde do Estado: Hospitais de Trauma de Campina Grande e João Pessoa e Regionais de Cajazeiras, Patos e Sousa. No Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande foram atendidas 1.126 pessoas. Os dados foram coletados a partir da zero hora de sábado (1), até às 14h30 da quarta-feira de cinzas (5). Comparando com o mesmo período do ano passado, houve uma redução de 9,41%. Em 2013, foram 1.243 atendimentos.

Do total de atendimentos, 188 foram vítimas de acidente de moto. Mesmo com o número elevado, ocorreu uma redução de 8,73% em relação ao ano passado. Outro número com uma diminuição considerável foram os casos envolvendo acidente de carro. Este ano foram apenas nove contra 51 em 2013; 566,66% a menos. Ainda foram atendidas nove vítimas de atropelamento, com redução de 10%; 11 vítimas de espancamento, aumento de 10%; 10 pessoas com ferimento por faca, redução de 33,3% e 12 pessoas com ferimento por arma de fogo. Neste último caso ocorreu um acréscimo de 100% em relação a 2013. 

O diretor geral do hospital, Geraldo Antônio Medeiros, disse que a diminuição substancial de vítimas de acidente de carro se deve à Lei Seca. “Isto é reflexo da atuação da Lei Seca, que tem sido efetiva tanto em Campina Grande como em João Pessoa. Infelizmente, o mesmo não se pode dizer das vitimas de acidente de moto, porque elas são, na maior parte, de cidades do interior e da zona rural onde a Lei Seca ainda não está presente”, declarou. 

O hospital tem 250 médicos, sendo 27 de plantão, 24 horas, em todas as especialidades de urgências. Além disso, são 150 enfermeiros, 450 técnicos de enfermagem, 48 fisioterapeutas, 30 assistentes sociais, 25 psicólogos e 1.700 funcionários técnico-administrativos. O hospital é o único na região da Borborema que possui Unidade de Queimados em atendimento hospitalar e ambulatorial.

Já o Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realizou cerca de 600 atendimentos durante o carnaval. Os casos envolvendo quedas lideraram as entradas nos plantões durante o período, com 118 pacientes atendidos.

De acordo com o balanço, foram atendidas 90 vítimas de acidentes de moto, seguido por agressão física, com 29 atendimentos; acidente de automóvel (26); vítimas de arma de fogo (18); atropelamento (17); arma branca (11); queimaduras (10); trauma (9) e acidente de bicicleta (8). Os demais atendimentos foram de casos clínicos. No mesmo período do ano passado, foram realizados 560 atendimentos de urgência e emergência.

Durante o Folia de Rua e o Carnaval Tradição, o Hospital de Trauma disponibilizou reforço de toda a equipe assistencial, com médicos, equipe de enfermagem e suporte, incluindo UTIs móveis. “Fizemos um esforço para prestar o melhor e mais eficiente atendimento à população, por isso elevamos o número de profissionais para trabalhar nessa data festiva”, disse o diretor da unidade, Edvan Benevides.

No Hospital Regional de Cajazeiras, principal casa de saúde do alto sertão da Paraíba, de acordo com a soma dos atendimentos dos casos clínicos (Urgência) e emergência deu um total de 224 ocorrências, sendo que 29 destes procedimentos incluem acidentes de moto. 

Durante os cinco dias de festividade, o hospital, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a 9ª Gerência de Saúde fizeram parceria e participaram de todos os eventos, entregando preservativos, panfletos informativos e porta camisinha. Foram entregues 162.144 preservativos masculinos, 2.000 femininos e 8.600 unidades de gel lubrificante.

A Diretora do Hospital Regional de Cajazeiras, Maura Vanessa Sobreira, classificou os trabalhos desempenhados pela equipe como um verdadeiro sucesso. Já a equipe ressaltou que tudo ocorreu dentro do planejado e que o hospital já começa a se preparar para as demais festividades e datas comemorativas que se aproximam.

No Hospital Regional de Sousa, no total, foram 1.385 atendimentos, envolvendo clínicas cirúrgica, médica e ortopédica; atendimento ambulatorial; cirurgias geral e ortopédica. Em 2013 foram 1.144, o que representa 241 atendimentos a menos.

Comparando os atendimentos realizados durante o carnaval de 2014 com o de 2013, o Hospital Regional Dep. Janduhy Carneiro, de Patos, manteve a média, com 44 vítimas de acidente de trânsito dando entrada no setor de urgência. No mesmo período de 2013 foram 42, uma pequena redução. Apesar das campanhas preventivas para a população não associar álcool e volante, os números ainda são considerados bastante expressivos.

Segundo a direção do Regional, 90% das cirurgias ortopédicas realizadas no bloco cirúrgico, são de vítimas de acidentes no trânsito, a maioria de condutores de motos. A transgressão às leis de trânsito, como alta velocidade; o desrespeito à sinalização; dirigir alcoolizado, sem equipamentos de segurança, têm sido as principais causas dos acidentes no interior do Estado.

O Hospital de Patos atende pacientes de aproximadamente 90 municípios. No carnaval deste ano realizou 505 procedimentos de urgência e ambulatorial. Houve atendimento a quatro feridos à bala e dois à faca. Duas mulheres deram entrada na urgência vítimas de agressão física e outras duas pessoas por queimadura. Houve significativa queda no número de procedimentos ambulatoriais e de urgência este ano em relação a 2013, quando foram registrados em torno de 700, contando com nove retornos.

No carnaval do ano passado foram realizadas 31 cirurgias ortopédicas e gerais. No último, foram 24. O que está surpreendendo o setor de epidemiologia tem sido o aumento no número de atendimentos por agressão à mulher. A equipe está fazendo levantamento e em breve informará o total de ocorrências deste ano.

Foram 75 internações. Quatro a mais que em 2013. O Hemonúcleo, mais uma vez, realizou campanha convidando a população a doar sangue, e assim garantir estoque no nível ideal para as urgências que geralmente ocorrem no período de carnaval. Muitos jovens aderiram e fizeram esse gesto solidário.