João Pessoa
Feed de Notícias

SES alerta para prevenção contra o sarampo durante festejos juninos

quarta-feira, 8 de junho de 2011 - 12:02 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) emitiu nesta quarta-feira (8) uma nota técnica para os 223 municípios paraibanos com a intenção de reforçar os cuidados com a imunização de pessoas que estejam com vacinas contra sarampo e rubéola atrasadas. Para a SES, com a realização dos festejos juninos, que atraem público e viajantes, é necessário aumentar esse cuidado.

Segundo a Secretaria, este ano ainda não houve registro da doença na Paraíba, que no ano passado acusou 55 casos. Em alguns Estados como Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e São Paulo surgiram notificações de sarampo já este ano.

“No período junino existe grande fluxo de turistas nas cidades do Nordeste. Somando-se a isso a ocorrência de casos de sarampo em outros Estados temos uma situação de ambiente propicio à transmissão da doença”, explica a gerente de Vigilância em Saúde da Secretaria, Júlia Vaz.

A SES realizou estudo epidemiológico para avaliação da homogeneidade da cobertura vacinal com a Tríplice Viral na Paraíba em 2010, que imuniza contra o sarampo, mas apenas 64,1% dos municípios do Estado tiveram cobertura adequada na vacinação no ano passado.

“Pela baixa homogeneidade do ano de 2010, o Estado da Paraíba não possui a chamada imunidade de rebanho, ou seja, existência de elevada proporção de imunes distribuídos uniformemente, que serviria inclusive como proteção para um eventual resíduo de suscetíveis”, detalha Júlia Vaz.

Recomendações – Para evitar que a doença volte, a SES orienta principalmente os municípios que sediam festejos juninos com grande aglomerados de pessoas, inclusive turistas, para imunizar pessoas que estão com a vacina contra o sarampo e rubéola em atraso. Quem vai se deslocar para participar dos festejos juninos em outras localidades também deve procurar uma unidade de saúde para atualização do calendário de vacinação.

Outra medida preventiva é destinada ao profissional de saúde, do setor público ou privado, que deve notificar às secretarias municipais ou estadual a ocorrência de qualquer caso suspeito de sarampo ou rubéola. “A informação sobre casos da doença possibilita uma resposta rápida para eliminar o risco de reintrodução desses vírus em nosso Estado”, frisou a gerente de Vigilância em Saúde.

As Secretarias Municipais de Saúde devem realizar imediatamente o bloqueio vacinal de qualquer caso suspeito de sarampo, mesmo quando a notificação for realizada em feriados e final de semana. Assim, é necessário neste período manter uma equipe de vigilância de sobreaviso para atuação imediata.

Sarampo – O sarampo é uma doença aguda, altamente contagiosa, transmitida por vírus. Os sintomas mais comuns são febre, tosse seca, manchas avermelhadas na pele, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. O período de transmissão varia de quatro a seis dias antes e depois do aparecimento das manchas.

Em caso de qualquer suspeita da doença, o paciente deve procurar o serviço de saúde mais próximo. Também é recomendado que a pessoa doente evite o contato com outras pessoas por sete dias.