João Pessoa
Feed de Notícias

Serviço mantido pelo Governo esclarece causa de morte natural

sexta-feira, 19 de março de 2010 - 15:01 - Fotos: 
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) mantém um órgão de fundamental importância para o esclarecimento da causa de morte natural em pessoas, provocada por doenças em residências, hospitais ou mesmo na via pública.

Esse órgão é Serviço de Verificação de Óbito (SVO) que funciona ao lado do Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa. É o único no Estado e já existe projeto para a ampliação e instalação de mais duas unidades, uma em Campina Grande e outra em Patos. “O projeto está em andamento na Secretaria da Saúde”, disse o diretor administrativo do SVO, Jean Ferreira.

O SVO foi criado e instalado em 2002, mas começou a funcionar em janeiro de 2003. Possui uma estrutura física com recepção, sala de repouso para médicos, copa, almoxarifado e ainda três mesas para a realização de necropsia e ainda duas câmaras frigoríficas com capacidade para abrigar três corpos cada. A Secretaria da Saúde já adquiriu outra câmara que em breve estará sendo instalada. As câmaras funcionam a 5 graus centígrados negativos.

O diretor administrativo informou que por dia são realizados cerca de quatro exames, significando 120 por mês para a descoberta da causa mortis. O setor recebe corpos das 8 às 16h diariamente, “porque o exame é feito uma hora após a constatação da morte”, explicou Jean.

Ampliação – Devido ao aumento no número de exames, a SES está projetando a ampliação do prédio e do atendimento para 24 horas. No local trabalham cinco patologistas (responsáveis pela necropsia), seis necrotomistas (fazem a abertura dos cadáveres) e ainda dois auxiliares (responsáveis pelo transporte do corpo desde a chegada até a mesa de necropsia, limpeza e retorno do corpo ao caixão). O serviço oferecido pelo Governo do Estado é gratuito.

Uma maior divulgação do órgão e seus objetivos será possível através de folder para distribuição com a população, onde se explica o que é causa de morte natural definida; como é feito o exame, bem como o que o exame patológico pode ajudar e ainda a diferença entre SVO, Gemol e DML, quais os exames que o patologista pode solicitar para complementação e como levar o corpo até o SVO.

Cardoso Filho, da Secom-PB com fotos de Antônio David