João Pessoa
Feed de Notícias

Serviço de neurocirurgia do Arlinda Marques é referência no Estado

terça-feira, 21 de janeiro de 2014 - 16:04 - Fotos:  Secom-PB

O Serviço de Neurocirurgia do Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede hospitalar do Estado, é o único com referência em neurocirurgia pediátrica na Paraíba, recebendo inclusive crianças de estados vizinhos. De acordo com o chefe do serviço, o neurocirurgião Christian Diniz Ferreira, o objetivo é atender com qualidade a grande demanda de crianças com patologias neurocirúrgicas. Ele enfatiza que todos os casos são resolvidos no Complexo de Pediatria, não necessitando o encaminhamento para outros centros.

A dona de casa Maria do Socorro Santos, que mora no município de Taperoá, foi uma das beneficiadas pelo serviço. Ela contou que o seu filho de oito meses foi acometido de uma secreção na cabeça logo nos primeiros dias de vida. “Ele chorava muito. Então, procurei um médico e ele me encaminhou para o HU onde foi diagnosticado o problema. De lá, eles me encaminharam aqui para o Arlinda Marques. Meu filho fez a drenagem da secreção e hoje está bem e, graças a Deus, em breve estarei indo embora com meu filho sadio”, comemorou.

Cristina Maria da Silva, do município de Cruz do Espírito Santo, mãe de uma criança de 11 meses que foi atendida pelo Serviço de Neurocirurgia Pediátrica do Arlinda Marques, contou que foi constatado um tumor na cabeça do menino após uma queda. A primeira cirurgia foi feita quando o bebê tinha três meses, e a segunda, agora com 11 meses, com a colocação de uma válvula. “Meu filho agora está bem e estou esperando a hora de voltar para casa com ele curado’, disse emocionada.

Um adolescente de 15 anos de idade, da cidade de Tavares, no Sertão, também está sendo atendido pelo serviço. A doméstica Leoneide Lourenço da Silva contou que o seu filho sentia fortes dores de cabeça e vomitava muito e, após a realização dos exames, os médicos constataram um tumor no cérebro. “Foi feita uma ressonância magnética e estamos esperando o resultado para que a cirurgia possa ser feita, mas tenho fé em Deus que tudo vai dar certo”.

De acordo com Christian Diniz, o Serviço de Neurocirurgia Pediátrica é composto por uma equipe formada por neurocirurgiões, cirurgiões pediátricos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, intensivistas neurologistas, neuropsicólogos, pediatras, oncologistas e assistente social, primando por um atendimento multidisciplinar e com uma estrutura de alta complexidade, recursos humanos, físicos e materiais adequados. “Com isso, o complexo tem ampla condição de oferecer à população pediátrica um atendimento adequado e de qualidade”, garantiu o neurocirurgião.

O Arlinda Marques realiza microcirurgia de tumores cerebrais e medulares; tratamento neuroendoscópico para hidrocefalias e tumores cerebrais; cirurgia de cranioestenose (fechamento precoce de suturas cranianas); cirurgia para epilepsia, incluindo amígdalo-hipocampectomia seletiva hemisferectomia, para controle da atividade epiléptica; reconstrução complexa craniofacial para tratamento de deformidades congênitas ou traumáticas craniofaciais; monitorização de pressão intracraniana e oximetria cerebral contínua para as lesões cerebrais.

Capacitação – Christian Diniz explicou que, além da parte cirúrgica, o serviço tem a preocupação de oferecer atividade de educação continuada. “Somos referência em neuroendoscopia no Brasil e, com isso, conseguimos trazer para João Pessoa, em dezembro de 2011, o Curso Latino Americano de Neuroendoscopia do Capítulo de Neurocirurgia Pediátrica da Federação Latino Americana de Neurocirurgia. Foi a primeira vez que esse evento foi realizado no Brasil”, destacou o neurocirurgião.

Ele lembrou ainda que, no ano passado, a Paraíba sediou, com o apoio do Complexo de Pediatria Arlinda Marques, o maior evento da neurocirurgia pediátrica brasileira, o X Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica, evento que contou com palestrantes nacionais e internacionais e o maior número de participantes em congresso da categoria.

Para 2014, fechamos acordo com academias de educação continuada alemã e finlandesa para a realização de cursos inéditos de cranioestenose (fechamento precoce das suturas) e neuroendoscopia, transmitidas com resolução 4 K pela UFPB. Na Faculdade de Medicina Nova Esperança, será realizada a parte prática em laboratório”.

Além destas atividades, o Serviço de Neurocirurgia Pediátrica do Arlinda Marques produz artigos científicos publicados nas principais revistas de neurocirurgia e congressos. “Temos credenciamento pela IFMS (International Federation of Medical Student) e a Universidade Federal da Paraíba, através do qual estudantes do mundo inteiro vêm estagiar no serviço de neurocirurgia pediátrica. Já recebemos estudantes da Holanda, República Tcheca, Eslováquia, México, Bulgária,Itália e Croácia”, informou.

Doenças neuropediátricas – Elas podem aparecer desde o início do desenvolvimento, abrangendo o período intra-uterino e estendendo-se à faixa etária do recém-nascido, lactente, escolar e adolescente. Entre as patologias neurológicas que exigem tratamento cirúrgico, as mais prevalentes na infância são a hidrocefalia, cranioestenoses, disrrafismos espinhais (mielomeningocele, encefalocele), tumores no SNC (tumor sólido mais frequente nas crianças), sendo o diagnóstico precoce e o tratamento adequado e multidisciplinar indispensáveis à redução da morbidade e melhoria da qualidade de vida dessas crianças.

Nós, que formamos o Centro de Neurocirurgia Infantil do Hospital Arlinda Marques, entendemos que as crianças necessitam de cuidados de saúde diferenciados. É nosso objetivo primordial assegurar que tudo, incluindo equipamentos e profissionais, esteja voltado para este cuidado com a saúde infantil. Queremos fazer da Paraíba um centro de referência da neurocirurgia infantil brasileira”, destacou o neurocirurgião Christian Diniz Ferreira.