Fale Conosco

21 de julho de 2017

Seminário Sobre Educação Popular e Educação Permanente em Saúde é realizado em Patos



O 1º Seminário de Educação Popular e Educação Permanente em Saúde realizado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde, coordenado pela Comissão Permanente de Integração de Ensino e Serviço (CIES) surpreendeu pelo grande público participante, 225. O encontro aconteceu nesta quinta-feira 20 no auditório Master das FIP – Faculdades Integradas de Patos, sendo direcionado a Trabalhadores de instituições de ensino, lideranças comunitárias, gestores municipais, controle social e agentes comunitários de saúde de 49 municípios participaram 1º Seminário de Educação Popular e Educação Permanente em Saúde.

O evento foi realizado em Patos pela Secretaria de Estado da Saúde, com a participação de 225 pessoas. As discussões aconteceram no auditório da Faculdades Integradas de Patos (FIP), na quinta-feira (20).

Na abertura houve programação cultural com apresentação da banda de pífanos Os Marrecas, de Catingueira, que mantem-se ativa há quatro gerações, passando de pai para filho. Houve paródia de Asa Branga de Gonzagão, pela equipe da gerência de Piancó. O diretor do Cefor – Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba, Fernando Rocha de Lucena Lopes, substitui a secretária executiva de saúde do Estado, Maura Sobreira e falou em sua palestra sobre a Política de Educação Permanente em Saúde.

Outro palestrante foi Volmir Brustscher, coordenador estadual de Apoio Institucional da SES, que expôs sobre o tema ‘Educação Popular em Saúde’. Segundo ele, na atual conjuntura, em que os direitos sociais estão sendo ameaçados, inclusive com a PEC 241 (que limita investimentos em saúde e educação, mas por outro lado não limita para o superávit primário, pagamentos de juros) a educação popular em saúde acaba sendo fundamental na perspectiva da defesa do SUS, que representa a saúde pública.

“A educação popular é uma perspectiva que provoca o trabalhador a assumir um compromisso com a humanização, com o cuidado, tratamento diferente, da mesma forma induz o gestor a abrir espaços para a participação popular”, disse Volmir, acrescentando que a educação é um investimento sempre de médio e longo prazos, onde os frutos vão aparecendo, provocando o trabalhador a refletir sobre a própria prática, a ter um olhar diferente no trato com a comunidade, a ver as necessidades dela.

Reconhecimento e valorização das políticas de saúde; propostas elaboradas por pessoas que realmente se identificam com os dois processos temas do encontro, educação permanente e popular em saúde, como prática de melhoria da assistência ao usuário do SUS. Essa é a visão do apoiador institucional da 6ª Região de Saúde, Davi Nunes, ao falar do sucesso do seminário ocorrido em Patos, que deverá gerar um grupo condutor para essa prática de educação permanente para mapear, visualizar os processos para melhorar a saúde na 3ª Macro.

Para Davi, o principal ponto positivo do seminário foi a motivação pessoal. Explicou que a maioria dos trabalhadores estão desmotivada, desenvolvem sua atividade bastante mecanizados e o encontro vai despertar a reflexão, que se transformará em ações. “Estamos contagiados como a forma dessa proposta entrou em todos os espaços. Ela vai cobrir a principal lacuna que temos aqui, de qualidade da formação, de motivação e, principalmente, de apresentação de resultados concretos em relação aos indicadores e às políticas públicas”, enfatizou Davi.

Muitas propostas foram debatidas e fechadas pelos grupos de trabalho dos 49 municípios da 3ª Macrorregião de Saúde. Para José Leudo de Farias, gerente da 6ª Região de Saúde, a grande presença dos trabalhadores, gestores municipais, representantes da sociedade, demonstra o interesse de todos de colaborarem para avanços na saúde pública, com a inclusão do conhecimento popular na práxis do SUS. “Foi um momento de aprimoramento, compromisso coletivo de melhoria da atenção à saúde pública e com certeza conseguiremos bons resultados”, comentou.

Do encontro, que contou com a presença dos três gerentes regionais, da 6ª, José Leudo, da 7ª Girleide Pereira e da 11ª, Joelma Muniz, saiu uma agenda de trabalho para fortalecer a educação permanente de educação, sob coordenação do CIES, com a primeira reunião programada para o próximo mês.

Durante o 1º Seminário de Educação Popular e Educação Permanente em Saúde, houve a entrega de certificados de concluintes do Curso de Aperfeiçoamento em Regionalização e Redes de Atenção à Saúde, das três gerências regionais.