João Pessoa
Feed de Notícias

Seminário debate papel da mulher na segurança pública, na Capital

sexta-feira, 23 de abril de 2010 - 18:22 - Fotos: 

“A mulher tem que conquistar mais espaço em todas as atividades”. Foi com esta frase que a juíza federal Helena Delgado Fialho Moreira abriu, na manhã desta sexta-feira (23), o I Seminário Estadual da Mulher na Segurança Pública. O evento ocorreu no Centro de Educação da Polícia Militar da Paraíba, no Bairro de Mangabeira, em João Pessoa, e reuniu cerca de 350 policiais de órgãos estaduais e federais, além de militares do Rio Grande do Norte e de Pernambuco.

O comandante da Polícia Militar da Paraíba, coronel Wilde de Oliveira Monteiro, e o secretário executivo da Secretaria da Segurança e da Defesa Social, coronel Ramilton Sobral Cordeiro de Morais, que representou o governador José Maranhão, também participaram do evento.

O Seminário foi coordenado pela tenente-coronel Íris Oliveira do Nascimento. Ela destacou que “as mulheres continuam sofrendo várias discriminações. Mas, apesar disso, já conquistaram espaços expressivos em todos os segmentos da sociedade moderna”.
A mesma opinião foi compartilhada pelo coronel Ramilton Cordeiro. Ele observou que “a mulher tem papel fundamental, não só no dom da vida, mas também nas fileiras da quase bicentenária Polícia Militar da Paraíba”. Para o oficial, já é hora de quebrar paradigmas que discriminam a mulher, já que ela demonstrou ser forte e tem competência em todas as áreas em que atua.

O coronel Wilde Monteiro também fez um pronunciamento durante o evento. Ele ressaltou que “a sociedade precisa reforçar a participação da mulher não só na área de segurança pública, mas também nas demais profissões. Para isso, leis devem ser criadas para rever e fortalecer o papel da mulher”. O coronel Monteiro ainda lembrou que a discriminação contra a mulher “é uma prática condenada inclusive pela Constituição de 1988”.

Desigualdades – A juíza Helena Fialho foi outra autoridade que criticou bastante a discriminação contra o sexo feminino e declarou que a participação delas precisa ser reforçada, urgentemente, em todas as áreas. “Temos que combater as desigualdades de naturezas econômica, política, racial e social, bem como sair do papel secundário. Para isso, precisamos equilibrar as forças e capacidades que temos”, completou a magistrada.
A deputada estadual Iraê Lucena, a segunda palestrante do evento, também defendeu uma maior participação da mulher na política brasileira. Apesar de garantir que os paradigmas estão sendo quebrados, a parlamentar observou que a população feminina ainda precisa batalhar muito para conquistar o respeito em todas as áreas. Para Iraê, essa luta só será vencida através da união das mulheres e também pela criação de leis. “Só assim poderemos disputar espaços de forma igualitária com os homens”, frisou.

Por sua vez, o juiz da Auditoria Militar da Paraíba, Ricardo Vital de Almeida, proferiu palestra no período da tarde desta sexta-feira, encerrando o I Seminário Estadual da Mulher na Segurança Pública. No seu pronunciamento ele enfocou os princípios da igualdade e afirmou que ainda há discriminações contra a mulher em quase todas as áreas de trabalho.

Mas o magistrado também destacou os avanços da quebra de paradigmas, afirmando que “a mulher vem conquistando paulatinamente seu lugar merecido na história da humanidade”.