João Pessoa
Feed de Notícias

Semana Estadual da Luta Antimanicomial discute loucura e democracia

terça-feira, 16 de maio de 2017 - 16:26 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom Pb

A VII Semana Estadual da Luta Antimanicomial foi aberta nesta terça-feira (16) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Coordenação Estadual de Saúde Mental, e teve como destaque apresentações artísticas de usuários de vários serviços da Rede de Atenção Psicossocial. A solenidade ocorreu pela manhã, no auditório de Fonoaudiologia, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus de João Pessoa. O evento, que tem como tema “Loucura e Democracia – a Luta não pode parar!”, se prolongará até o dia 18 de maio, quando ocorrerá uma Marcha, saindo do Busto de Tamandaré, em Tambaú, para o Largo da Gameleira, em Manaíra, na capital.

“É muito importante este momento que vivemos aqui, pois a manifestação artístico-cultural transforma a dor em beleza”, disse a coordenadora de Saúde Mental da SES, Shirlene Queiroz.

Uma das apresentações foi dança de rua, com uma dupla formada pelo oficineiro de danças urbanas e um usuário da Unidade de Acolhimento Infantil, na capital.  Também participaram adolescentes do Centro de Apoio Psicossocial (Caps) Infantil, de Sapé, com música, exposição de desenhos e depoimento. R.C.,de 15 anos, falou da experiência há um ano no serviço. “Fui para o Caps porque me automutilava. Depois que estou lá, parei porque recebo todo atendimento e apoio”, falou.

Já uma detenta do Presídio Feminino Júlia Maranhão apresentou performance sobre sua visão de mundo, dentro e fora das grades, e o paciente do Juliano Moreira, André dos Santos Barros, de 31 anos, cantou um rap onde uma das frases dizia: “ Liberdade traz muito amor no coração”.

Shirlene chamou atenção para os depoimentos dos usuários. “Por meio destas expressões artísticas, percebemos a importância do fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial. A Paraíba tem a maior rede do país e, no entanto, ainda precisamos ter estes serviços em todas as regiões para que não haja a necessidade de se deslocar”, declarou.